sábado, 19 de maio de 2012

Pedagogia no Espiritismo

Pedagogia no Espiritismo

A pedagógica no espiritismo é um tema complexo e controverso o qual devemos conscientizarmos de que na doutrina espírita  brasileira existem diversas culturas sócios culturais, muitas vezes confundindo-se entre orientações espiritualistas ou religiosas e as espíritas de fato.
Mas em que ponto podemos relacionar a pedagogia com o espiritismo? Essa questão foi respondida por Dora Incontri
“A própria Doutrina Espírita é uma proposta pedagógica de Educação proposta pedagógica de Educação do Espírito. Kardec foi educador, não por acaso. Herdeiro de uma tradição pedagógica, recebida das mãos de Pestalozzi, seu mestre,. Que vinha desde Sócrates, foi com essa visão de educador que codificou o Espiritismo. Nada mais óbvia portanto a contribuição que a Doutrina pode dar para o campo específico pode dar para o campo específico da pedagogia, com uma visão reencarnacionista do homem.
São muitos os mestres que nos dão referenciais para a metodologia da  pedagogia espírita entre eles temos: Jean Jacques Rousseau,  Emmanuel Kant,  Ovide Decroly, Vitor Ugo, Bezerra de Menezes, e  etc.  que seria  impossível comenta-los como se deve nesse artigo, por isso vamos enfocar apenas quatro  :
Pestalozzi o qual projeta suas ideias em ação de amor socorrendo crianças órfãs, educou pobres e ricos, ajudou a erguer um novo conceito de educação, teorizando e praticando a Pedagogia do Amor;
Allan Kardec: “A sistematização, a disciplina e a busca da verdade sempre foram objetivos e práticas marcantes na vida do Professor Rivail.

 Sua preocupação com a educação racional e humanizada levaram-no ao desenvolvimento de metodologias de aprendizado revolucionário e que até hoje são objetos de pesquisa e aplicação.”
J.  Herculano Pires: “A Educação Espirita visa o desenvolvimento pleno do individuo, considerando-o um ser imortal e cósmico. Ressuscitando os ensinamentos de irmãos mais maduros espiritualmente, e os exemplos de Jesus, possibilita compreender o educando como “centelha divina, inteligência do Universo”, como lembra  O Livro dos Espíritos, “deuses e luzes”, segundo Jesus.
Cairbar Schutel :“O livro espírita, além de divulgar os ensinamentos  filosóficos, morais e científicos dos espíritos mais evoluídos, também auxilia no custeio de inúmeras obras de assistência social, escolas para crianças e jovens carentes, etc.”( Irmão W./espírito)
Na questão 383 do L.E, percebemos a importância da pedagogia espírita já na infância:
 “Qual é, para o Espírito, a utilidade de passar pela infância?”
“R. - Encarnando-se com o fim de se aperfeiçoar, o Espírito é mais acessível, durante esse tempo, às impressões que recebe e que podem ajudar o seu adiantamento, para o qual devem contribuir os que estão encarregados da sua educação.”
Outro ponto importante esta em Obras Póstumas:
“Um curso regular de Espiritismo seria dado com o fim de desenvolver os princípios da Ciência  espírita e propagar o gosto pelos estudos sérios. Esse curso terá a vantagem de criar a unidade dos princípios, de obter adeptos esclarecidos, capazes de difundir as ideias espíritas e de desenvolver grande números de médiuns. Encaro este curso como capaz de exercer influência capital no futuro do Espiritismo e em suas consequências.”.
J. Herculano Pires em seu livro “Pedagogia Espírita” comenta que a contribuição que a Doutrina Espirita da para a formação da criança, é das mais positivas, porque visa essencialmente os valores intrínsecos e eternos que cada um de nos possui em potencial. Não prepara a criança apenas para a vida no plano da Terra, mas... Busca ensinar-lhe que ela e uma parte importante do próprio Universo. Visando objetivos transcendentais, prepara o ser para um clima de superação das paixões e vícios que o prendem ao plano inferior da matéria, estimulando-lhe o cultivo das virtudes espirituais.
A reflexão na pedagogia espírita não é um fato isolado, mas integrado na reflexão geral sobre o mundo e a vida. Para pensar na Educação o homem teve primeiro de pensar no mundo, na vida e em si mesmo. Temos assim um encadeamento histórico mais amplo: a necessidade da Pedagogia resulta da necessidade de um a visão  holística, analisando de todos os ângulos e ensinando todos os pontos.
“[...] Se concebemos o Todo como espíritas somos naturalmente levados a viver nele como espíritas, adotando as normas morais correspondentes à Doutrina. Mas não somos criaturas isoladas e não queremos a vida somente para nós. Temos filhos, descendência e queremos transmitir a esta a nossa forma de vida. Essa transmissão se faz pela Educação, que em nosso grau de evolução não pode dispensar o tipo de Pedagogia correspondente. Daí a necessidade histórica da Pedagogia Espírita.” 

A finalidade do processo educativo não é integrar o indivíduo numa sociedade, numa cultura, numa época, mas levá-lo à plena realização das suas possibilidades de perfeição nesta existência.
A Doutrina espírita é Educação por excelência. O espiritismo não se contenta com a formação do cidadão, ele nos abre as perspectivas do infinito e pretende, preparar-nos para a eternidade, através do conhecimento do espírito universal.
“Devemos nos convencer de que o objetivo final da educação não é o de aperfeiçoar as noções escolares, mas sim o de preparar para a vida; não de dar o hábito da obediência cega e da diligência comandada, mas de preparar para o agir autônomo.”
O Espiritismo e uma doutrina ética. Seus objetivos morais superam os limites da moralidade terrena, projetando-se no plano ético do Espirito. Assim, a Pedagogia Espirita, que deve ser a teoria geral da Educação Espirita, e de natureza ética. Todos os seus princípios devem convergir para a finalidade doutrinaria de transformar o Homem num ser moral capaz de construir um Mundo Moral na Terra.

"A verdadeira educação é a que consiste na arte de formar caracteres, aquela que cria os hábitos, porque educação é conjunto de hábitos adquiridos" (Allan Kardec).

Nenhum comentário:

Postar um comentário