sábado, 31 de março de 2012

BENEFÍCIOS PAGOS COM A INGRATIDÃO

BENEFÍCIOS PAGOS COM A INGRATIDÃO

Que se deve pensar dos que, recebendo a ingratidão em paga de benefícios que fizeram, deixam de praticar o bem para não topar com os ingratos?

Nesses, há mais egoísmo do que caridade, visto que fazer o bem, apenas para receber demonstrações de reconhecimento, é não o fazer com desinteresse, e o bem, feito desinteressadamente, é o único agradável a Deus. Há também orgulho, porquanto os que assim procedem se comprazem na humildade com que o beneficiado lhes vem depor aos pés o testemunho do seu reconhecimento. Aquele que procura, na Terra, recompensa ao bem que pratica não a receberá no céu. Deus, entretanto, terá em apreço aquele que não a busca no mundo.

Deveis sempre ajudar os fracos, embora sabendo de antemão que os a quem fizerdes o bem não vo-lo agradecerão. Ficai certos de que, se aquele a quem prestais um serviço o esquece, Deus o levará mais em conta do que se com a sua gratidão o beneficiado vo-lo houvesse pago. Se Deus permite por vezes sejais pagos com a ingratidão, é para experimentar a vossa perseverança em praticar o bem.

E sabeis, porventura, se o benefício momentaneamente esquecido não produzirá mais tarde bons frutos? Tende a certeza de que, ao contrário, é uma semente que com o tempo germinará. Infelizmente, nunca vedes senão o presente; trabalhais para vós e não pelos outros. Os benefícios acabam por abrandar os mais empedernidos corações; podem ser olvidados neste mundo, mas, quando se desembaraçar do seu envoltório carnal, o Espírito que os recebeu se lembrará deles e essa lembrança será o seu castigo. Deplorará a sua ingratidão; desejará reparar a falta, pagar a dívida noutra existência, não raro buscando uma vida de dedicação ao seu benfeitor. Assim, sem o suspeitardes, tereis contribuído para o seu adiantamento moral e vireis a reconhecer a exatidão desta máxima: um benefício jamais se perde. Além disso, também por vós mesmos tereis trabalhado, porquanto granjeareis o mérito de haver feito o bem desinteressadamente e sem que as decepções vos desanimassem.

Ah! meus amigos, se conhecêsseis todos os laços que prendem a vossa vida atual às vossas existências anteriores; se pudésseis apanhar num golpe de vista a imensidade das relações que ligam uns aos outros os seres, para o efeito de um progresso mútuo, admiraríeis muito mais a sabedoria e a bondade do Criador, que vos concede reviver para chegardes a ele.- Guia protetor.(Sens, 1862.)


RECOMECEMOS

RECOMECEMOS
Não conserves lembranças amargas.
Viste o sonho desfeito.
Escutaste a resposta de fel.
Suportaste a deserção dos que mais amas.
Fracassaste no empreendimento.
Colheste abandono.
Padeceste desilusão.
Entretanto, recomeçar é benção na Lei de Deus.
A possibilidade da espiga ressurge na sementeira.
A água, feita vapor, regressa da nuvem para a riqueza da fonte.
Torna o calor da primavera, na primavera seguinte.
Inflama-se o horizonte, cada manhã, com o fulgor do Sol, reformando o valor do dia.
Janeiro a Janeiro, renova-se o ano, oferecendo novo ciclo ao trabalho.
É como se tudo estivesse a dizer : "Se quiseres, podes recomeçar ".
Disse, porém , o Divino Amigo que ninguém aproveita remendo novo em pano velho.
Desse modo, desfaze-te do imprestável.
Desvencilha-te do inútil.
Esquece os enganos que te assaltaram.
Deita fora as aflições improfícuas.
Recomecemos, pois, qualquer esforço com firmeza, lembrando-nos , todavia, de que tudo volta, menos a oportunidade esquecida, que será sempre uma perda real.
*************************
Emmanuel
Chico Xavier

Mensagem Anjo Conselheiro

Anjo Conselheiro

Certo dia um Anjo deparou-se em minha vida.

Ensinou-me que a bondade no mundo há de ser mantida;
Anjo sereno, vestido de Amor e Compaixão,
disse-me que a base do Amor é o perdão.

Perguntei ao anjo:
Como eu faria para isso acontecer?

O anjo respondeu-me:
Isso é bem fácil de entender,
somente numa frase o anjo completou:
Ao mundo adicione sua parcela de doação e bem,
muitas pessoas precisam do que você julga não mais necessário e ainda têm,

Disse-lhe então:
Pensava que tinha tudo mas é exatamente o contrário,

O anjo respondeu: Agora que entendeste como aumentar sua
parcela de bem, faças disso real, não deixando apenas no seu
imaginário, pois mesmo achando pouco o que você faz, este pouco o
torna grandioso.

Respondi consciente:
Agora percebo o que posso fazer por um mundo mais humano e piedoso,

O anjo completou:
Agora entendeste porque sentia-se triste
e não sabia?

Respondi ao anjo:
Porque do egoísmo minha mente não saía.

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier - Emmanuel

sexta-feira, 30 de março de 2012

Espírito também tem cor

Espírito também tem cor

ila_rendered




 Certo dia reparei em um companheiro de atividades, cheio de dedos ao falar abertamente do trabalho que realizam a Casa dos Espíritos Editora e a instituição parceira que lhe deu origem, a Sociedade Espírita Everilda Batista. A vergonha ou o receio que ele tinha devia-se especificamente à bandeira hasteada por ambas as casas, na qual declaram positivamente: ”Trabalhamos com pretos-velhos e caboclos”.

- Mas o que o movimento espírita vai pensar? – perguntava se. – Uma casa espírita aparecer com um livro como Aruanda? Que casa espírita lança uma obra associada a pretos-velhos e caboclos?

- Entendo suas apreensões – respondi. – Acontece que a nossa sina começou há muito tempo, desde a publicação de Tambores de Angola. Quando lançamos o livro você se lembra, muitos disseram que havíamos nos tornado umbandistas; agora não há como voltar atrás.

- Então! Imagine uma continuação…

- Mas alguém precisa falar contra o preconceito. Só porque o autor espiritual aborda o tabu umbanda e espiritismo quer dizer que deixamos de ser espíritas? Só porque lançamos um livro  que fala de pretos-velhos e caboclos, que tanto têm feito por nós, espíritas, tomamo-nos ”anti-doutrinários”? Faça-me o favor! Não perdemos a definição espírita de nossas atividades, porque espírita é o método de trabalho. Kardec é bom-senso, e o codificador debatia qualquer assunto, sem medo nem idéias preconcebidas.

Quanto aos espíritos, para eles não há barreiras religiosas: onde está o códice que informa a aparência correta de um ”espírito espírita”? Kardec fala que é o conteúdo da comunicação que importa, e não a aparência do espírito, que pode ser forjada com facilidade.

As preocupações do companheiro de trabalho, no entanto, não eram infundadas. com efeito, tudo que se relaciona à cultura religiosa do negro costuma ser assunto controverso, especialmente no meio espírita. Não obstante tanta relutância tenha fortes raízes históricas, é hora de começar a arrancá-las.

Aculturação

O espiritismo de Allan Kardec floresceu no final do séc. xix, entre as camadas mais abastadas da população brasileira, em meio às elites intelectuais e econômicas. O que era de esperar, tendo em vista que e uma doutrina filosófica de implicações morais e científicas, escrita em idioma estrangeiro, oriunda da França, país que à época detinha a hegemonia cultural e ditava as regras do que era chique.

O processo de aculturação do espiritismo, ao aportar num país de características tão diversas quanto o Brasil, também era previsível, senão necessário. Além da tradução para o português, era crucial assimilar os aspectos que compunham a história e a cultura brasileiras, caso houvesse a intenção de disseminar a nova doutrina. E havia, pelo menos da parte dos espíritos que coordenam os destinos da nação.

Espírito também tem cor (!)

Uma das questões que em breve viriam à tona diz respeito à feição ou à roupagem fluídica dos espíritos presentes nas reuniões mediúnicas. Para onde iriam os espíritos de negros e indígenas que desencarnavam na psicosfera brasileira? Além dos médicos, filósofos, advogados e demais intelectuais, também morriam os pobres do povo e os pretos, recém-alforriados pela Lei Áurea de 1888.

Que critérios estabelecer?

Nas páginas de Kardec, nada sobre pretos-velhos ou caboclos, pois que não havia nem emigração das colônias africanas para a França. No máximo, o depoimento de um soldado, morto nos campos de batalha das guerras nacionalistas do continente europeu.

Como proceder, então, com essa gente desencarnada?

Assim como a prática de capoeira outrora foi considerada crime, prevista no Código Penal, falar em preto, ainda mais velho, e assunto proibido em muitos locais. Ouvem-se espíritas a debater teorias: ”Se der ’estrimilique’, se errar na conjugação verbal e fizer menção a arruda e guiné”, que são as ervas da medicina de que dispunha a população, ”é espírito atrasado”.

A lógica absurda tem justificativa. Afinal, como receber orientação daqueles mesmos que mandávamos amarrar no pelourinho e durante tanto tempo foram comercializados na praça pública, como gado? As imagens do passado espiritual estão fortemente impressas em nossas mentes.

Espiritismo cana-de-açúcar

Às vezes chego a me sentir como se estivéssemos fazendo espiritismo num engenho do Brasil colonial. E que, resquício da época da escravidão, subsiste um certo pavor de se misturar com qualquer coisa que venha dos negros.

É o advento da senzala na realidade espiritual.

Negros não prestam para assumirmos como mentores e reconhecermos como espíritos elevados. Para divulgar-mos sem barreiras: ”Eles nos têm muito a ensinar com sua simplicidade e sabedoria popular”, também não.

No máximo, para fazer um ”descarrego” no ambiente – ops!, limpeza energética – ou para lidar com os ”obsessores” rebeldes ao diálogo tradicional.

Tudo na mais perfeita discrição. O quanto for possível, sem alarde, para não darmos o braço a torcer, admitindo que, nessa hora, não são os médicos nem os padres e as irmãs de caridade que atuam. Não são eles que se dirigem às profundezas do umbral ou do astral inferior para abordar QGS das trevas.

Ah! E se aparecer um Zé Grosso ou um Palminha, espíritos hoje nacionalmente conhecidos e reverenciados no meio espírita, esqueçamos que eles foram cangaceiros do bando de Lampião, o que quer dizer: nordestinos, provavelmente analfabetos, acostumados ao lombo do jegue e ao chapéu de couro – e certamente à pele escura e queimada de sol. Mesmo que trabalhem com Joseph Gleber, Fritz Hermman ou Sheilla, fechemos os olhos para o fato de que seus nomes destoam da característica européia dos demais e continuemos a nos enganar.

Mas se negros e mulatos não prestam para aparecer e ser reconhecidos, não agüentamos viver sem eles – nem ontem, nem hoje.

Na época colonial, o negro não sabia de nada, mas a cana-de-açúcar que produzia a riqueza era plantada, colhida e beneficiada por suas mãos. Não eram (idas como gente, mas foram as mulheres pretas que criaram os filhos, amamentaram os bebês, cuidaram da casa, do jardim e das roupas, prepararam a comida que serviam aos convidados.

Na atualidade, mesmo sem gozar do reconhecimento amplo – que não é seu objetivo -, as mães e os pais velhos dão importante contribuição nos centros espíritas ”kardecistas” de todo o Brasil. Aceitos ou não, já se acostumaram com a discriminação; não e isso que importa.

Percebidos ou não pelos médiuns da casa-grande, são os caboclos que manipulam o bioplasma das ervas, são os pretos-velhos que preparam o ectoplasma utilizado em reuniões de cura e tratamento espiritual. São eles que, por vezes, detêm a sabedoria simples que tocará aquele espírito furioso, revoltado com a fome, o abandono e a chibata que experimentou e que muitos de nossos médiuns, doutrinadores e mentores
desconhecem. São eles que farão frente aos chefes das trevas, impondo-lhes o respeito, o limite e a autoridade moral, o que uma alma mais doce ou delicada não poderia fazer. Acaso estou enganado e situações como essas só ocorrem em terreiros de umbanda?

É ou não é o perfeito engenho, a estrutura social da colônia que se reproduz de modo atávico e ancestral, projetando-se até na questão espiritual?

De Paris para o Pelo

O primeiro centro espírita com base nos livros de Kardec de que se tem notícia no país foi fundado em Salvador, na Bahia de Todos os Santos, ainda no séc.XIX. Capital do Brasil colonial até 1763, a cidade ostenta até hoje o belo Elevador Lacerda, que conduz à Cidade Baixa e ao MERCADO em que se vendiam negros.

Está aí um retrato fiel do ambiente espiritual brasileiro: Allan Kardec posto justo ao lado do Pelourinho.

Talvez mera coincidência, talvez uma forma de a vida nos lembrar do compromisso que temos com os povos negro e indígena – explorados e massacrados pela civilização dos colonizadores – e que deve ser resgatado desde já, também no trato com o alem-túmulo.

Que cesse o preconceito e que vivam as curimbas e as mandingas de preto-velho, a garra e as ervas dos caboclos. Que viva a atmosfera espiritual do Brasil, onde cada um mantém seu método de trabalho, mas sabe respeitar e auxiliar onde quer que seja preciso, com espírito de equipe e de solidariedade. Que vivam os médicos alemães, as freiras e os padres católicos, os árabes e indianos de turbante, os soldados de Roma e todas as falanges e nações que, na pátria espiritual, se reúnem em torno da insígnia de Allan Kardec – e, sobretudo, sob a bandeira do Cristo, de amor e fraternidade."

Fonte: Robson Pinheiro, obra " Aruanda" 




Salada de Religiões

Espiritismo, umbanda e candomblé: conheça a origem histórica das manifestações
religiosas que envolvem transe medianímico e, aos olhos do leigo, se confundem.


Todo cidadão espírita já passou pelo constrangimento de ser confundido com
umbandista ou candomblécista. Digo constrangimento porque, para muitos, é um
verdadeiro pavor ter o seu centro "de mesa branca" miscigenado com terreiros do
"baixo espiritismo".Que nomenclatura terrível!
Ocorre que reações de medo ou preconceito, com conseqüente discriminação, vêm
do desconhecimento. Quando cessa a ignorância, dissolve-se a fantasia, e o
demônio perde o rabo e o chifre.

Assembléia espiritual


Candomblé é a prática religiosa que mais se aproxima daquela que os povos
africanos trouxeram para o Brasil a bordo dos navios negreiros. No contato com a
cultura indígena encontrada aqui, nasce o chamado candomblé de caboclo,culto às forças superiores da vida através dos orixás. Como religião não cristã, é bombardeada pela pregação intolerante do jesuíta, e, de século em século, muitos candomblés acabam se deteriorando em magia negra - vingança contra padres, feitores e senhores de escravo.
Preocupados com o andar da carruagem, os espíritos responsáveis pela
administração dos destinos do Brasil decidem intervir. É hora de mudar o toque
dos atabaques.
Contudo, o espiritismo de Allan Kardec, recém-chegado da França na segunda
metade do séc.XIX, era muito intelectualizado para falar aos barracões do
candomblé.Atendia, à época, apenas aos anseios da camada mais culta da população
brasileira,acostumada com a linguagem européia e os diálogos da filosofia
clássica.
Então, alguém propõe, na assembléia de espíritos elevados: "Que tal uma religião
nova, que reúna ambos os conhecimentos, levando espiritualidade ao culto
popular?".Nasce então a aumbandhã,ou umbanda - a união das duas bandas.
Tipicamente brasileira, a nova religião surge em Niterói, no antigo estado da
Guanabara, em 1908. E apresentada diretamente da boca de uma entidade espiritual
diferente para a época: o caboclo.
O padre jesuíta Gabriel Malagrina, espírito comprometido com o panorama religioso do Brasil, assume o aspecto de um índio e declara, dentro de uma casa espírita:"Se é preciso que eu tenha um nome, digam que sou o Caboclo das Sete Encruzilhadas, pois para mim não existem caminhos fechados. Venho trazer a aumbandhã ,uma religião que harmonizará as famílias, unirá os corações, falará aos simples e que há de perdurar ate o final dos séculos".

Umbandomblé
É assim que, na atualidade, sobrevive nos terreiros essa fusão, que era objetivo
do Alto. Adotando o sincretismo entre os orixás e os santos católicos, que há
muito se desenvolvia, e o transe mediúnico assumido, que não existia nos
barracões de candomblé, a umbanda foi penetrando lentamente nos redutos de magia
negra.Levou ate lá os conceitos de amor, caridade e justiça através da voz do
preto-velho,que também se apresentou na longínqua ocasião de 1908. Na
personalidade de Pai Joaquim de Aruanda, o espírito de um médico francês assumiu
pela primeira vez apostura do ancião negro para poder falar na linguagem do
povo.Enquanto isso, o espiritismo saía do obscurantismo, graças à contribuição
de homens valorosos, como Bezerra de Menezes, Eurípedes Barsanulfo e Chico
Xavier. Tanto assim que hoje ainda se observa a tendência de as tendas de
umbanda levarem em seu nome o termo espírita, denotando a aceitação social maior
que gozavam os adeptos de Allan Kardec. Se, de todo, a pressão política ou
religiosa fosse muito forte,também havia um santo qualquer no nome da casa. E
que, em um país católico, com setores conservadores na sociedade, Tenda Espírita
de Umbanda Nossa Senhora do Rosário soaria melhor que se o nome fosse apenas Pai
Oxalá ou Caboclo Rompe-Mato.

Fonte: Robson Pinheiro, obra Aruanda



QUANDO ME SINTO FRACA, ,,,,,,,

QUANDO ME SINTO FRACA,
ENTÃO É QUE ME FAÇO FORTE.

Sei que Deus não me criou
para que me sentisse derrotada
pelos problemas que a vida me apresenta.
Deus não me criou para o desânimo
que insistente bate à porta de meu coração,
sempre que alguma coisa não dá certo.
Ele não quer ver esta ruga
que aparece em meu rosto,
refletido no espelho,
sinal de toda a preocupação
que ocupa minha mente.
Ele sabe que se hoje
as coisas não me parecem bem,
amanhã, à luz de um novo dia,
elas me parecerão menos graves,
do que o impacto que me causaram.
Ele sabe, que não obstante,
à pequenez de minha fé,
sinto que posso contar
com a Sua proteção.
Sabe que tenho a certeza absoluta
de que não colocará em meus ombros
peso maior do que eu possa suportar.
Sabe que entendo
que essas experiências desagradáveis
pelas quais passo em minha vida,
servirão apenas para
evoluir e fortalecer meu espírito
e enriquecer meus conhecimentos.
E é por tudo isso,
que não devo esmorecer,
não devo dar ao meu inimigo,
seja ele quem for,
físico, moral ou espiritual,
o gosto da vitória sobre mim.
Deus me criou para ser amada,
principalmente por mim mesma!
DEUS ME CRIOU PARA VENCER...
SEMPRE!


Hoje Acordei Para Vencer

Hoje Acordei Para Vencer

A auto-mensagem positiva logo pela manha é um estímulo que pode mudar o seu humor, fortalecer sua auto-confiança e, pensando positivo, você reunirá forças para vencer os obstáculos.
Não deixe que nada afete seu estado de espírito.
envolva-se pela música, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo.
ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça a Deus pela oportunidade de acordar mais um dia.
O bom humor é contagiante:
espalhe-o. Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos, com quem você encontrar.
Não se lamente, ajude as outras pessoas a perceber o que há de bom dentro de si.
Não viva emoções mornas e vazias. Cultive seu interior, extraia o máximo das pequenas coisas.
Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas.
Repense seus valores e dê a si mesmo a chance de crescer e ser mais feliz.
Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz.

Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da "missão cumprida".
Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor.
Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo, buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas.
Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade.
Não inveje. Admire!
Seja entusiasta com o sucesso alheio como seria com o seu próprio.

Idealize um modelo de competência e faça sua auto-avaliação para saber o que está lhe faltando para chegar lá.
Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo sua habilidade e seu tempo.
Só assim não terá tempo para criticar os outros. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus problemas e não se deixe abater por eles.

Tenha fé e energia, acredite: Você pode tudo o que quiser.
Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, pobre para a raiva,
forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes.
Não viva só para seu trabalho. Tenha outras atividades paralelas como: esportes, leitura... cultive amigos. O trabalho é uma das contribuições que damos para a vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações.
Finalmente, ria das coisas à sua volta, ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida: "A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo".
 


VIVER COM ALEGRIA

VIVER COM ALEGRIA


Sauda o dia nascente com alegria de viver aureolada pela gratidão a Deus.

Cada novo dia é abençoada oportunidade de crescimento espiritual e de iluminação interior.

Atravessar o rio dos problemas de uma para a outra margem, onde se encontram as formosas atividades de engrandecimento moral, é a tarefa inteligente da pessoa que anela pela conquista da felicidade.

Quando se abre a mente e o coração à alegria, é possível descobri-Ia em toda parte, bastando olhar-se para a Vida, e ei-la jubilosa...

Quando se adquire a consciência da responsabilidade, de imediato sente-se que se é livre, mas essa liberdade é sempre conquistada pela ação que se converte em bênção de amor.

Somente através do amor perfeito é que o ser humano pode considerar-se realmente livre de todas as amarras, mesmo que essa aquisição seja lograda, de alguma forma, através do sofrimento.

O sofrimento faz mal, no entanto, não é um mal, porque oferece os recursos valiosos para a aquisição do bem permanente.

Eis porque o trabalho de qualquer natureza deve ser realizado com o sentimento de amor, o que equivale a uma postura de liberdade em ação.

Quando o amor não está presente no sentimento, a alegria não se enfloresce, porque permanece sombreada pelas dúvidas e suspeitas, porquanto somente através do amor é que se adquire a perfeição, em face dos mecanismos de ação que movimenta.

Pessoas existem que afirmam não poderem amar porque não compreendem o seu próximo, tendo dificuldade em aceitá-lo conforme é. A questão, no entanto, é mais sutil, e deve ser formulada nos seguintes termos: porque não ama, torna-se difícil compreender, em razão dos caprichos egoísticos que dificultam a bondade em relação aos outros.

Quando o amor se instala, a alegria de viver esplende como resultado da própria alegria de ser consciente.

A alegria não é encontrada em mercados ou farmácias, mas nos recônditos do coração que sente e ama, favorecendo-lhe o surgimento como um contínuo amanhecer.

Basta que se lhe ausculte a intimidade, e ei-la triunfante sobre a noite das preocupações.

Em realidade, viver com alegria não impede a presença dos sofrimentos que fazem parte do processo da evolução. Pelo contrário, é exatamente por serem compreendidos como indispensáveis que proporcionam satisfações e bem-estar.

Sempre que possível expressa a tua alegria de viver.

Os sentimentos cultivados transformam-se em estímulos para as ações que se materializarão mais tarde.

Se permitires que a tristeza torne-se companheira frequente das tuas emoções, a melancolia em breve estará instalada nos teus sentimentos, tirando a beleza da existência.

Se te apoias à queixa contumaz, a tua será uma conduta amargurada, fazendo-te indisposto e desagradável.

Se optas pelo cultivo de ideais enobrecedores de qualquer natureza, o entusiasmo pela sua preservação fará dos teus dias um contínuo encantamento.

Se tens o hábito de encontrar sempre o melhor, quase invisível ou imperceptível, nos acontecimentos menos felizes, desfrutarás de esperança e de júbilos permanentes.

A existência física não é uma viagem miraculosa ao país da fantasia, mas uma experiência de evolução assinalada por processos de refazimento uns e outros de conquistas inevitáveis, que geram sofrimento porque têm a finalidade de desbastar os duros metais da ignorância e aquecer o inverno do primarismo...

É natural, pois, que a dor seja companheira do viajante carnal.

Quando jovem, tudo são expectativas, ansiedades, incertezas...

Quando na idade madura, a colheita de reflexos da juventude propicia, quase sempre, insatisfações e desencantos.

Quando na velhice, em face do desgaste, o aborrecimento pela perda da agilidade, da memória, da audição, da visão, da facilidade que era habitual, se manifesta...

Sempre haverá motivo para reclamação, porque cada dia tem a sua própria quota de aflição, que deve ser aceita com bonomia e naturalidade.

Com a alegria de viver instalada no imo, sempre haverá uma forma de encarar os acontecimentos, concedendo-lhe validade e dele retirando a melhor parte, como afirmou Jesus, aquela que não lhe será tirada, porque representa conquista inalienável para a mente e para o coração.

Adapta-te, desse modo, às ocorrências existenciais, alegrando-te por estares no corpo, fruindo a oportunidade de corrigir equívocos, de realizar novos tentames, de manter convivências saudáveis, de enriquecimento incessante...

A vida com alegria é, em si mesma, um hino de louvor a Deus.

Não te permitas, portanto, a convivência emocional com as manifestações negativas do caminho por onde transitas.

Observa as margens do teu caminho e rega-as, mesmo que seja com suor e lágrimas, a fim de que as sementes do Divino Amor que se encontram nelas sepultadas, germinem e transformem-se nas flores que adornarão a tua marcha ascensional.

Liberta-te, mesmo que te seja exigido um grande esforço, das heranças primárias, filhas da agressividade, do inconformismo, dos impositivos egoístas que te elegem como especial no mundo, e considera que fazes parte da grande família terrestre, sujeito como todos os demais às injunções dos mecanismos da evolução.

Alguém que cultiva a alegria de viver já possui um tesouro. Esparze-o onde te encontres e oferta-o a quem se te acerque, tornando mais belo o dia a dia de todos os seres com o sol do teu júbilo.

Se já encontraste Jesus, melhor razão tens para a alegria, porque envolto na Luz do mundo, nenhuma sombra te ameaça.

Serás, ao longo da vilegiatura carnal, o que te faças a cada instante, conforme o és, resultado do que te fizeste.

Alegra-te com a vida que desfrutas e agradece sempre a Deus a glória de saber e de amar para agir com acerto.


pelo Espírito Joanna de Ângelis - Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco

HOJE...


HOJE...
HOJE SOMOS SERES MANIPULADOS PELO TEMPO...
SOMOS AS HORAS DO PASSADO...
SOMOS OS SONHOS DO FUTURO...
SOMOS A ESPERANÇA DE UM CRESCIMENTO...
SOMOS AS BASES DE UMA CONSTRUÇÃO AMANHÃ.
O TEMPO NOS ELEVA A MAGESTADE OU NOS TORNA A ILUSÃO DA REALIDADE MATERIAL, O SONHO DO SER É NATURAL. CADA ENTE DO PRESENTE BUSCA O MELHOR, BUSCA UMA COLHEITA FARTA QUE SEMPRE SE FAZ, CONFORME SUA PLANTAÇÃO.
POR VEZES NOS ACHAMOS INJUSTIÇADOS, MAS NESTA TERRA SOMENTE COLHEREMOS OQUE PLANTARMOS.
A SEMENTE SEMPRE GERMINA, PODE DEMORAR, PODE NOSSOS OLHOS DO AGORA NÃO ENXERGAR, MAS NOSSOS SENTIDOS VERDADEIROS SABEM QUE SOMOS NÓS OS DONOS DA FAZENDA DOS SENTIMENTOS.
NOSSOS LUCROS SERÃO CONFORME NOSSO TRABALHO, NINGUÉM COLHE SEM PLANTAR.
A VIDA SE FAZ SEMPRE, O TEMPO APENAS NOS É UMA ILUSÃO DO PRESENTE. O AUSENTE DO ONTEM, AMANHÃ NASCERÁ. NOSSO PROJETO MARCADO FOI. NOSSOS DESEJOS FINDADOS SERÃO. O TEMPO SEMPRE SE FARÁ NA EVOLUÇÃO DO SABER.
CADA VIVER É E SERÁ DEPENDENTE DE ATOS DO PASSADO OU DESEJOS DO FUTURO, SOMENTE COLHEREMOS OQUE SEMEARMOS.
NOSSO EU REGADO SERÁ PELAS GOTAS DA ESPERANÇA E DA FÉ SEMPRE...
NA LEMBRANÇA NASCERÁ A VIDA, SEMPRE SURGIRÁ A SAÍDA, SEMPRE A PAZ ILUMINARÁ O DESEJO VERDADEIRO DE UM HERDEIRO DO AMANHÃ...
A LUTA PELO TODO DO FUTURO É E SERÁ O SEGURO DE QUE NADA É POR ACASO, NOSSO CASO FOI OU SERÁ.
NOSSO AMOR SEMPRE RENASCERÁ NAS FONTES VERDADEIRAS DE RESPOSTAS, DE PERGUNTAS, DE PORQUÊS DO AGORA OU DO ONTEM.
O TEMPO RESPONDE AS DÚVIDAS E O PAI NOS MOSTRA QUE SOMOS TODOS IGUAIS NA PARTILHA DO TESOURO CELESTIAL.
PODEMOS ANDAR MAIS LENTAMENTE, MAS CERTAMENTE NOSSA HERANÇA ESTÁ NO FUTURO A NOS ESPERAR...
AMOR É A GARANTIA DA FELICIDADE!
FÉ É A LUZ QUE PRODUZ A ESPERANÇA NO AMANHA.
FIQUEM COM DEUS E TENHAM FÉ DE QUE O AMANHA SÓ DEPENDE DE NÓS MESMOS E DE NOSSOS DESEJOS DO HOJE...
QUE ASSIM SEJA!
                                        11h09min 28/03/12

quinta-feira, 29 de março de 2012

Bendigamos Sempre





Bendigamos Sempre



Bendigamos sempre nossa voz, quando fala no tempo certo, na hora certa e, com coração certo.
Bendigamos sempre nossa lágrima pois ela, construirá teu tempo, corpo e espaço para tua evolução.


Bendigamos sempre nossa vida, pois é prova insofismável da existência de Deus.
Bendigamos sempre nossas dúvidas, pois sem elas nada aprenderias.


Bendigamos sempre nossa paz, pois ela dar-nos-á segurança em nosso caminhar à luz.
Bendigamos sempre nossas verdades, pois já não utilizamos a mentira.


Bendigamos sempre nossa fidelidade, pois construímos, à nossa volta, castelos imponderáveis de harmonia.
Bendigamos sempre nossa felicidade, pois dela dependerá o dia de amanhã de muitos irmãos nossos.


Bendigamos sempre nossa alegria, pois, dos olhos de muitos irmãos, enxugaremos lágrimas com seu amor.
Bendigamos sempre nossa disponibilidade, pois não aceitamos o convite à inação.


Bendigamos sempre nossa piedade, pois nossos braços poderão curar muitas feridas d´alma.
Bendigamos sempre nosso silêncio, em pensamento, pois asseguraremos a paz na terra.


Bendigamos sempre o joio que nos ensina a qualidade na colheita do trigo.
Bendigamos sempre os que nos fazem sofrer, pois eles nos trarão os galardão da vitória, em Cristo.


Bendigamos sempre aqueles que sofrem com humildade, pois serão os mestres daqueles que padecem nas cátedras putrescíveis da terra.
Bendigamos sempre o tempo, guardião inefável de nosso destino.


Bendigamos sempre nossos tutores profissionais, pois com eles aprenderemos nosso labor com retidão e disciplina.
Bendigamos sempre nosso próximo, nosso espelho benemérito.


Bendigamos sempre nossa mãe, pois, sem ela, não seríamos, para a vitória do Cristo.
Bendigamos sempre nosso Pai, exemplo para nós, de trabalho e dignidade.


Bendigamos sempre nossas agremiações religiosas, pois elas, ainda que parcamente, esvaziam as faixas da ilusão.
Bendigamos sempre nossos obsessores, pois são catalisadores de nossa melhoria.


Bendigamos sempre nossos inimigos, pois nos deram oportunidade de sermos amigos. Bendigamos sempre todas as mulheres, pois elas são maestrinas da grande orquestra do universo Divino.


Bendigamos sempre nossas dores, pois nos mostram nossas imperfeições perante a grandeza de Deus.
Bendigamos sempre as mentiras nossas e dos outros, que nos ensinam o valor da verdade.


Bendigamos sempre o alimento que nos concita ao aprendizado da parcimônia alimentar.
Bendigamos sempre os corações dos que amam, pois são os esteios de Cristo na terra.


Bendigamos sempre os que têm esperança, pois é por ela que vencemos nossas guerras em direção ao Pai.
Bendigamos sempre a reencarnação, pois por ela abrimos nosso coração para a eternidade.


Bendigamos sempre nossa pequenez, pois limitamos nossa inclinação a vôos com ponderação.
Bendigamos sempre pois, nada no mundo põe-se, em definitivo, como negativo. Os caminhos são muitos. No universo nada existe de negativo ou de positivo.


Existe nossa postura perante nós mesmos. Nesta atitude seremos elementos agregadores de equilíbrio no universo, ou ferramentas ignóbeis na tarefa ínvia de atrasar o homem, no alcançar a casa do Pai.

SE SOUBESSES...


SE SOUBESSES...
Se soubesses quão venenoso é o conteúdo de fel a tisnar o cálice da aversão, decerto compreenderias que todo golpe de crueldade não é senão desafio à tua capacidade de entendimento.
*
Se soubesses a trama de sombra que freme, perturbadora, em torno da palavra infeliz que proferes, na crítica à luta alheia, preferirias amargar no silêncio as feridas de tua mágoa, esperando que o tempo lhes ofereça a necessária medicação.
*
Se soubesses a quantidade dos crimes, oriundos da revolta e da queixa, escolherias padecer toda sorte de sofrimento antes que reclamar consideração e justiça em teu próprio favor.
*
Se soubesses a multidão de males que a vingança provoca, esquecerias sem custo os braseiros de dor que a calúnia te arremessa à existência.
*
Lembra-te de que o ódio é o grande fornecedor das prisões e de que a cólera é responsável pela maior parte das moléstias que infelicitam a vida e guarda o coração na grande serenidade, se te propões conservar em ti mesmo o tesouro da paz e a bênção da segurança.
*
Ainda mesmo que alguém te ameace com o gládio da morte, desculpa e segue adiante, porque as vítimas ajustadas aos marcos do Bem Eterno elevam-se de nível, enquanto que os ofensores, ainda mesmo os aparentemente mais dignos, descem aos precipícios do tempo para o acerto reparador.
*
De qualquer modo, se a aflição te procura, cala e perdoa sempre, porque se o Mestre nos exortou ao amor pelos inimigos, também nos advertiu que a mão erguida à delinquência da espada, agora, hoje ou amanhã, na espada fenecerá.
(De “Alma e Luz”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

ESTE DIA


ESTE DIA
Este dia é o seu melhor tempo, o instante de agora.
Se você guarda inclinação para a tristeza, este é o ensejo de meditar na alegria da vida e de aceitar-lhe a mensagem de renovação de permanente.
Se a doença permanece em sua companhia, surgiu a ocasião de tratar-se com segurança.
Se você errou, está no passo de acesso ao reajuste.
Se esse ou aquele plano de trabalho está incubado no seu pensamento, agora é o momento de começar a realizá-lo.
Se deseja fazer alguma boa ação, apareceu o instante para promovê-la.
Se alguém aguarda as suas desculpas por faltas cometidas, terá soado a hora em que você pode esquecer qualquer ocorrência infeliz e sorrir novamente.
Se alguma visita ou manifestação afetiva esperam por você, chegou o tempo de atendê-las.
Se precisa estudar determinada lição, encontrou você a oportunidade de fazer isso.
Este dia é um presente de DEUS, em nosso auxílio; de nós depende aquilo que venhamos a fazer com ele.
******************
André Luiz
Chico Xavier


Ramatís A Fé Inabalável

O mundo está acabando


O mundo está acabando


Não é novidade a previsão de que o mundo vai acabar. As culturas milenares ou doutrinas recentes, pregadores de hoje ou profetas do ontem se fizeram arautos do fim do mundo.
Alguns previram explosões e convulsões intensas avassalando imensas regiões.
Outros, imaginaram grandes asteróides se chocando com a Terra, convulsionando de tal forma a harmonia do planeta, que a vida humana se tornaria impossível, sendo destruída em sua totalidade.
Alguns fanáticos promoveram suicídios coletivos, antecipando a catástrofe que, imaginavam eles, se daria brevemente.
Não foram poucos aqueles que marcaram data, ano, na exatidão do calendário que se escoava e que teimava em não cumprir a previsão catastrófica.
Poucos, porém, se deram conta de que o mundo há muito tempo vem acabando.
Onde está o mundo onde as mulheres não tinham direitos sociais, eram proibidas de votar, não podiam frequentar a escola?
Esse mundo acabou, resistindo apenas em alguns rincões de ignorância e miséria moral.
Como falar, então, do mundo onde as cartas levavam meses para encontrar seu destino, onde as notícias eram poucas e raras, onde sabia-se de pouco e pouco se difundia?
Esse mundo também acabou, substituído por um mundo melhor, onde a tecnologia nos aproxima, nos beneficia, coloca luzes nos mais distantes lugares do mundo, minimizando as dores e dificuldades.
Analisando assim, é verdade que o mundo está acabando. Não da maneira violenta e definitiva como imaginavam tantos, nem tampouco de forma irreversível e avassaladora como pregaram outros.
É natural da evolução humana que o mundo vá se acabando, para que outro mundo se construa, na marcha inevitável do progresso e da melhora.
Mesmo a guerra, as grandes catástrofes naturais, os desastres são previstos nas leis de Deus para que o progresso ganhe marcha e a melhora se instale para todos.
Nesses dias de transição que ora passamos, é urgente que o mundo também se acabe.
Mas esse mundo que deve ser extinto é o mundo da violência que palpita dentro de nós.
Temos que ajudar a dar fim ao mundo de injustiça que, muitas vezes, permitimos que se dê sob os nossos olhos.
Devemos colaborar para o fim de um mundo de iniquidades, de desigualdades, de fome e miséria que ainda se estende por tanta parte e para tantos.
É verdadeiramente urgente que esse mundo todo se acabe. E que um novo mundo se inicie em nossa intimidade e, aos poucos, possamos colaborar para que nosso planeta ganhe outras paisagens e outros valores.
Só assim dia virá em que olharemos para esses dias que ora se passam e teremos a certeza de que o mundo acabou. E que no lugar dele, um mundo de paz, harmonia e justiça se instaurou, para nunca mais acabar.

Grão de Mostarda



Grão de mostarda
Em uma parábola, Jesus afirma que o Reino dos Céus é semelhante a um grão de mostarda que um homem semeou no seu campo.
Embora seja a menor das sementes, ao crescer se torna a maior das plantas e faz-se uma árvore, que abriga as aves do céu.
Como sempre acontece em se tratando de parábolas, são possíveis muitas interpretações.
Uma delas reside na necessidade de se prestar atenção em questões aparentemente ínfimas.
Raras pessoas costumam pensar com seriedade a respeito da vida e dos deveres que ela lhes apresenta.
Muitos homens, investidos de importantes responsabilidades, evidenciam paixões nefastas e destruidoras, seja no campo dos sentimentos, dos negócios, da família ou das relações sociais.
Por conta dessas paixões, oferecem tristes espetáculos de conduta indigna.
As mentes desequilibradas pela irreflexão encontram-se por toda parte.
Isso evidencia um descuido com as coisas mínimas.
O coração humano muitas vezes parece um campo abandonado.
Por falta de cuidado, nele crescem ervas daninhas que, com o tempo, produzem grandes tragédias.
Todo grave desequilíbrio surge lento na rota humana.
Embora a aparente sensatez, quem de repente comete uma baixeza pensou nela durante algum tempo.
Permitiu que a ideia má crescesse, empolgasse seu coração e finalmente tomasse conta de sua vida.
O homem nunca deve esperar colheitas milagrosas.
Ele precisa amanhar a terra de seu coração e cuidar do plantio.
A semente de mostarda constitui o pensamento, a palavra e o gesto.
Muitos falam bastante em humildade, mas nunca revelam um gesto de obediência.
Contudo, ninguém jamais realizará a bondade em si se não começar a ser bom nas ocasiões mais singelas.
Alguma coisa pequenina há de ser feita, antes de ser edificada uma obra grandiosa.
Extrai-se facilmente da mensagem de Jesus que o Reino de Deus está dentro de cada um.
Portanto, é no seu íntimo que o homem deve construí-lo.
É no interior que se desenvolve o trabalho da realização Divina.
A maior floresta do mundo começou de sementes minúsculas.
O mesmo se dá com o ser humano.
Se ele se permite pequenos pensamentos infelizes e gestos indignos, caminha para a vivência de graves males.
Entretanto, pode decidir cuidar das coisas pequenas, prestar atenção no que pensa, diz e faz em seu cotidiano.
Se cuidar das coisas pequenas, crescerá em força, paz e virtudes.
É preciso semear na própria vida os ínfimos grãos da gentileza, da conversa sadia e dos hábitos dignos.
Essa pequenina semeadura com o tempo se converterá na plenitude íntima de quem possui uma larga faixa de céu no coração.
Pense nisso.

AMIGO E SERVO

AMIGO E SERVO
Ninguém pode servir a dois senhores. MATEUS. : 6;- 24.
Difunde, em torno de ti, com os socorros materiais, o amor de Deus, o amor do trabalho a amor do próximo. Coloca tuas riquezas sobre uma base que nunca lhes faltará e que te trará grandes lucros: a das boas obras. - Cap.16; 11.
Consulta o dinheiro que encostraste por disponível e analisa-lhe a história por um instante! É provável tenha passado pelos suplícios ocultos de um homem doente, que se empenhou a gastá-lo em medidas que não lhe aplacaram os sofrimentos; terá rolado em telheiros, onde mães desvalidas lhe disputaram a posse, nos encargos de servidão; na rua, foi visto por crianças menos felizes que o desejaram, em vão, pensando no estômago dolorido; e conquistado, talvez, por magro lavrador nas fadigas do campo, visitou-lhe apressadamente a casa, sem resolver-lhe os problemas...
Entretanto, não teve o longo itinerário somente nisso.
Certamente, foi compelido a escorar o ócio das pessoas inexperientes que desertaram da atividade, descendo aos sorvedouros da obsessão; custeou o artifício que impeliu alguém para a voragem de terríveis enganos; gratificou os entorpecentes que aniquilam existências preciosas; e remunerou o álcool que anestesia consciências respeitáveis, internando-as no crime.
Que farias de um lidador prestimoso, que te batesse à porta, solicitando emprego digno? de um cooperador humilhado por alheios abusos, que te rogasse conselho, a fim de reajustar-se e servir? O dinheiro de sobra, que nada tem a ver com tuas necessidades reais, é esse colaborador que te procura pedindo orientação.
Não lhe congeles as possibilidades no frio da avareza, nem lhe esconda as energias no labirinto do monopólio.
Acata-lhe a força e enobrece-lhe os movimentos, na esfera de obrigações que o mundo te assinalou.
Hoje mesmo, ele pode obter, com teu patrocínio a autoridade moral do trabalho para o companheiro, impropriamente julgado inútil; o revigoramento do lar que a privação asfixia; o livro edificante que clareie as trilhas dos que se transviam sem apoio espiritual o alento aos enfermos desprotegidos; ou a tranqüilidade para irmãos atenazados pelos aguilhões da penúria que,freqüentemente, lhes impõem o desequilíbrio ou a morte, , antes mesmo de serem amparados no giro da mendicância.
Dinheiro de sobra é o amigo e servo que a Divina Providência te envia para substituir- te a presença, onde as tuas mãos, muitas vezes, não conseguiu chegar.
Sim, é possível que, amanhã, outras criaturas venham a escravizá-lo sob intenções inferiores, mas ninguém apagará o clarão que acendeste com ele para a felicidade do próximo, porque, segundo as leis inderrogáveis que governam a vida, o bem que fizeste aos outros a ti mesmo fizeste.
pelo Espírito Emmanuel - Do livro: O Livro da Esperança, Médium: Francisco Cândido Xavier.

Especial gratidão



Especial gratidão
A gratidão é um sentimento nobre. Somente almas de superior qualidade a externalizam.
Quase sempre, o bem que se recebe é esquecido, tão logo circunstâncias outras se apresentem.
Mas, aquele garotinho de quatro anos era mesmo um ser especial. Quando começou a passar mal, seus pais o levaram ao médico. Os sintomas de vômito, febre e dor na barriga foram diagnosticados como gastroenterite.
O diagnóstico errado conduziu o pequenino a uma cirurgia de emergência. Um apêndice perfurado causara um grande estrago interno. De tal forma que o médico optou por deixar a incisão aberta e dois drenos.
Todas as manhãs, o médico vinha verificar a incisão e fazer o curativo. O garotinho gritava feito louco durante essas visitas.
E começou a associar o médico com tudo de ruim que lhe estava acontecendo.
Durante uma semana, os drenos deixaram escorrer o veneno de dentro do seu corpo de apenas dezoito quilos.
A melhora se instalou e pai, mãe e filho se dispuseram a deixar o hospital. Já no elevador, com as portas começando a fechar, eles viram o médico correr em sua direção.
Um exame de sangue de última hora havia detectado uma queda radical na contagem de glóbulos brancos.
O menino retornou para a cirurgia para limpeza de novas bolsas de infecção no seu abdômen.
Finalmente, depois de vários dias de tratamento, muitos sustos para os pais, que viram a sombra da morte colocar suas cores no rosto do filho, eles foram para casa.
Agora, outro problema se apresentava: as contas a pagar. O pai ficara muito tempo afastado da atividade profissional, por conta da enfermidade do filho.
Havia contas domésticas, da empresa e, acrescidas, ademais, por enormes contas hospitalares. A primeira dessas era de trinta e quatro mil dólares.
Poderia ser um milhão, disse o pai. Tanto faz. Não tenho como levantar essa quantia.
Não podemos pagar isto agora, disse ele para a esposa.
Naquele exato momento, o filho veio da sala e surpreendeu o casal com uma estranha declaração. Ele ficou de pé na extremidade da mesa, colocou as mãos na cintura e falou:
Papai, Jesus usou o doutor para ajudar a me consertar. Você precisa pagar a ele.
Então, se virou e saiu. Marido e mulher se entreolharam. O que fora aquilo?
Ambos foram pegos de surpresa, de vez que o garoto entendera que o cirurgião era a fonte de todas as apalpadelas, cortes, espetadelas, drenagens e dores.
E o pai ficou a pensar como fora estranha aquela proclamação na cozinha. Afinal, quantas crianças de quatro anos analisam as angústias financeiras da família e exigem o pagamento para um credor?
E, principalmente, um credor de quem ele nunca gostou particularmente...
* * *
Os que ouvimos a história dessa família concluímos: o garoto estava agradecido e, na sua gratidão, não podia deixar de pedir que quem o salvara da morte, recebesse o seu justo pagamento.
Deixemo-nos contaminar por esse belo sentimento e recordemos se a alguém ou a vários alguéns não estamos devendo expressões de gratidão.
Pensemos nisso.
, com base nos caps. Nove, dez e
onze, do livro O céu é de verdade,