sábado, 30 de junho de 2012

APOIO FRATERNAL


APOIO FRATERNAL
Não digas que esta ou aquela criatura não necessita de compaixão.
Não nos referimos à piedade negativa que, em se manifestando, deixa os infelizes mais infelizes. Reportamo-nos à compreensão que nos habilita a entender as necessidades da pessoa humana e a prestar-lhe o auxílio direto ou indireto que se nos faça possível, objetivando-se-lhe a sustentação do equilíbrio no grupo social que lhe seja próprio.
-0-
Encontrarás, talvez, um homem forte, em plenitude de robustez física e, provavelmente, acreditarás que ele não requisite qualquer forma de amparo. Entretanto, esse amigo, supostamente privilegiado pela natureza, pede simpatia que o mantenha na direção do bem.
A mulher ricamente adornada que supões venturosa, muitas vezes, transporta consigo pesadas desilusões, a rogar-te auxílio a fim de conseguir suportar a carga de sofrimentos a que se vincula.
Quem administra espera a cooperação de quantos lhe partilhem a tarefa para que essa tarefa se derrame em amparo generalizado, em favor de todas as criaturas para as quais é dirigida.
Quem obedece solicita o concurso possível dos outros para que as sugestões da indisciplina não lhe conturbem a vida.
-o-
Os bons exigem apoio das ideias e palavras edificantes para que não se desviem da rota que o mundo lhes assinala e os maus reclamam proteção específica, a fim de que se contenham e aprendam a se desvencilhar de qualquer conotação com as forças da crueldade.
-o-
Conciliemo-nos, buscando comunicar-nos através do lado melhor que possamos apresentar em esforço recíproco, para que a parte ainda rústica de que sejamos portadores, seja burilada menos dificilmente pelos instrumentos da vida.
-o-
Concluamos, assim, que seja qual seja o caminho em que estivermos, quantos nos cruzem os passos necessitam de paz e compreensão. E, dentro do assunto, observemos que, em nos referindo a semelhantes recursos, todos nós, em qualquer posição, precisamos e precisaremos deles também.
(De “Confia e segue”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

RAZÃO...


RAZÃO...
AULA PARA A VISÃO... SOLUÇÃO... TEMPO... PERDÃO... ILUSÃO...
UM IRMÃO NOS DÁ A MÃO...
UM IRMÃO DA SOLIDÃO PEDE PERDÃO...
CAUSA... DOR... PROVA DE AMOR? POR QUÊ?
NO DIA A HARMONIA SE FAZ... ENCONTRO REFAZ, REFAZ UM DÉBITO, REFAZ UM NOVO SENTIMENTO PARA EM MOMENTOS DE SOLIDÃO SER UMA RAZÃO...
TALVEZ UMA LIÇÃO DO PASSADO?
UM LEMBRADO DO TEMPO, FIRMEMENTE EM DIREÇÃO A RODA DA VIDA...
O TEMPO REFAZ O PASSADO, O TEMPO LEMBRADO DESENHA O FUTURO COM O SEGURO DA CERTEZA QUE SE FAZ A NATUREZA DA MISSÃO SER RAZÃO... INTERPRETA-SE CADA ATO DO TEMPO JUNTANDO O PASSADO, O QUERER, E A SABEDORIA ADQUIRIDA NA SUSCESSÃO DE ENCARNAÇÕES, LIBERTA-SE DA CORRENTE E VAI-SE A FRENTE QUANDO A FÉ NOS MOSTRA SER NOSSA LUZ DO AMANHA, NOS MOSTRA QUE A CARNE É FINDA, MAS O ESPÍRITO VIVE, VIVE E REVIVE O SENTIMENTO EM QUALQUER ÉPOCA. .
A CONSCIÊNCIA É NATA É RAZÃO PARA RETORNO DE MISSÃO.
DEVEMOS ELEVAR NOSSO QUERER DA EVOLUÇÃO E IMPLORAR A NOSSOS SENTIMENTOS A PAZ DA CERTEZA DA VERDADE DE NOSSO INTERIOR PARA QUE POSSAMOS SABER SEPARAR O JOIO DO TRIGO.
NOSSA MAIOR LUTA É CONOSCO MESMO, POIS BUSCANDO A SABEDORIA SOMOS LEVADOS A DIMENSÕES ONDE NOSSAS EMOÇÕES SE FAZEM FRÁGEIS POR SERMOS CIRCUNDADOS POR DIVERSAS VIBRAÇÕES. ESTAMOS EM UM ESPAÇO ONDE AS BARREIRAS DO CETICISMO NOS SÃO DIÁRIAS.
NUNCA DEVEMOS ESQUECER QUE SOMOS DE CARNE.
NOSSOS SENTIDOS SÃO FRÁGEIS, SOMENTE COM A FORÇA DA FÉ CONSEGUIREMOS NOS FORTALECER, VIVEMOS EM UM MUNDO MATERIAL, SOMOS SERES DE CARNE E OSSO PRECISAMOS AINDA NOS SUPRIR DE BENS MATERIAIS, NOSSA ESTRUTURA FISICA E NOSSOS DEVERES CARNAIS TAMBÉM FAZEM PARTE DO TODO DO NOSSO CRESCIMENTO ESPIRITUAL.
CADA COISA Há SEU TEMPO

 
O TEMPO SE DIVIDE NOSSOS DEVERES TAMBÉM, CRESCER É VIVER, E VIVER É ERRAR, CONCERTAR, E PLANEJAR O DIA-A-DIA COM FÉ NA CERTEZA DE QUE O AMANHA SERÁ MELHOR NUM TODO, CARNE E ESPÍRITO.
NADA SE FAZ SEM SENTIDO
TUDO MEDIDO ESTÁ. DESCRITO NO OLHAR, FAZENDO-SE BUSCAR NA ESPERANÇA DE CONTINUAR A CAMINHAR SEM OLHAR O PASSADO COM RANCOR, MAS LEMBRAR QUE  NAS VESTES DA CARNE SOMOS INSTRUMENTOS IMPERFEITOS SUJEITOS AO ERRO, SOMOS ESPÍRITOS NA CAMINHADA EM DIREÇÃO A APRIMORAÇÃO DE NOSSOS VALORES VERDADEIROS.
NOSSOS PENHORES PASSADOS APENAS NOS SERVEM COMO GUIAS PARA UM NOVO CAMINHO ONDE A CERTEZA DE QUE O AMANHA SERÁ MELHOR NOS ABRE OS OLHOS DA FÉ SEMPRE.
NESTE CAMINHO A CARNE SE FAZ LEMBRAR POR SUA FRAGILIDADE. A VERDADE DE NOSSO CRESCIMENTO ESTA GUARDADA NO PRESCENTIMENTO DO ERRO, A LEMBRANÇA DO ERRO NOS TORNA POR VEZES FRÁGIL, A DOR RETORNA E A CULPA NOS DEIXA VUNERAVEIS.
DEVEMOS LEMBRAR QUE ESTAMOS SUJEITOS AO ERRO, DEVEMOS NOS ARREPENDER E PEDIR AO PAI CELESTIAL QUE NOS ILUMINE E NOS GUARDE DE TAIS ENGANOS. SOMOS IRMÃOS DE CARNE E ESPÍRITO SOMOS TODOS IGUAIS PERANTE O PAI.
PERFEITO APENAS ELE O É!!! POR ISSO NOS PERDOA. ESTAMOS BUSCANDO O CRESCIMENTO, E NESTA BUSCA O ERRO NOS É IGUAL A TODOS NO SEU PESO AS LEIS UNIVERSAIS DIVINAS.
 “SOMOS DA TERRA COMO SOMOS DE NÓS MESMOS”.
SOMOS UM ÁTOMO DO DNA DA VERDADE, SOMOS RECEPTORES RESPONSÁVEIS PELO NOSSO ESPAÇO CONDUTOR.
SOMOS FILHOS DO INFINITO!
SOMOS PORTADORES RESPONSÁVEIS PELA OBRA DIVINA!
SOMOS CAUSA E CONSEQUENCIA DE NOSSAS DECISÕES!
A  TERRA   É CASA       DO   HOMEM  !  O HOMEM     É         MORADA   DO ESPÍRITO!
 
SOMOS CONJUNTO COMPLETO DE UM AMANHA NA ETERNIDADE...
COMO ENTENDER?
SOMOS A ALMA DA TERRA, ASSIM COMO SOMOS A ALMA DE NÓS MESMOS!
SOFREREMOS NA CARNE AS CONSEQUENCIAS DE NOSSOS ATOS, ASSIM COMO SENTIREMOS NA NATUREZA NOSSAS IMPRUDENCIAS COM A TERRA!
FIQUEM COM DEUS PAI SEMPRE E JAMAIS TEMAM O AMANHA POIS NOSSO PAI SEMPRE ESTÁ A NOSSO LADO MESMO QUE POR VEZES NÃO CONSIGAMOS SENTIR SUA PRESENÇA, MAS A CERTEZA DO AMOR VERDADEIRO ESTA CONTIDA DENTRO DE NOSSO MELHOR SENTIMENTO.
QUE ASSIM SEJA!!!
20:01 29/06/12

Obsessões complexas

 Obsessões complexas



Acerca dos elementos envolvidos na realização de processos classificados como magia negra na dimensão extra física, é possível organizá-los no seguinte esquema, que também se aplica à feitiçaria e à ação dos cientistas.

O fenômeno pressupõe a existência de um agente ou manipulador, que é o próprio mago negro, o feiticeiro ou o cientista do astral. Ele é o emissor da energia que será canalizada ou arregimentada para a criação do chamado condensador energético, que obedece aos mesmos preceitos teóricos mencionados quando abordamos a feitiçaria.

O condensador ou acumulador será qualquer objeto que sirva para o agente ampliar seus recursos magnéticos e mentais em favor dos seus propósitos (o cientista, por sua vez, utilizará o artefato tecnológico). Em alguns casos, esse elemento desempenha função dupla e endereça vibratoriamente a um alvo a maquinação do agente das sombras. O endereço vibratório é a pessoa visada, encarnada ou não. Portanto, pode ser um objeto impregnado pelos fluidos do alvo da magia, já que os condensadores têm características individuais, feito as impressões digitais.

Porém, para que a ação da magia seja eficaz, é necessário que o agente seja possuidor de vontade forte e saiba conduzir seus pensamentos e emoções diretamente ao condensador energético, que diluirá essa energia no endereço vibratório visado. Além disso, o espírito que usar esse processo corno instrumento para seus desmandos deverá ter conhecimento minucioso de todas as etapas. Não basta deter informações a respeito.

Um dos temas mais controversos nas discussões atinentes ao astral inferior é o produto da criação mental voltada para a reprodução de seres humanos através de clones ou duplicatas astrais. Na verdade, não passam de seres artificiais, feitos com ajuda inconsciente de encarnados, pois os pensamentos humanos forjam clichês, que, com o tempo, se transformam em imagens vivas de si mesmos.

De posse dessas criações, os cientistas do astral desenvolveram uma biotecnologia capaz de empregá-las como objeto de intricados processos obsessivos. A ciência extra física, menos sujeita às barreiras típicas do mundo corpóreo, aprofunda suas pesquisas e alcança resultados, no mínimo, apreciáveis, dignos de estudo.
  
Entre as diversas ferramentas verificadas para instaurar o quadro obsessivo, descobriu-se, então, embora a relutância em admitir o fato, a existência de seres artificiais gerados em laboratórios do submundo astral. Juntamente com aparelhos parasitas, implantes de chips, projeção de campos de força ou magnéticos e de ação contínua, tais elementos acabam provocando desarmonias nas células físicas dos encarnados, até mesmo causando processos cancerosos. Sobretudo, são métodos obsessivos que fogem à definição clássica.

A idéia de criar uma cópia do ser humano com vistas a manipular as pessoas encarnadas foi algo que se afigurou fascinante perante os olhos das entidades envolvidas. Poderiam ser utilizados amplamente e com imensa flexibilidade para atingir diversos objetivos, muitas vezes inconfessáveis.

Com efeito, para a concretização de seus projetos no astral inferior, era necessária grande quantidade de seres artificiais, que deveriam estar disponíveis para os testes em cobaias humanas, por meio dos quais os cientistas levariam a cabo sua escalada de domínio das consciências.

Sob certa perspectiva, os cientistas, permanecem até os dias de hoje sendo manipuladas por outras entidades mais perversas ainda, portadoras de conhecimentos mais amplos. Apesar de que, na hipótese de confrontá-los, possivelmente negarão com veemência essa realidade, pois a ignoravam no passado, e muitos ainda a desconhecem.

Outros cientistas desencarnados, mais atentos, sabem que os magos negros têm certa ascendência sobre eles e que, de algum modo, dependem dos senhores da escuridão para a obtenção de muitos elementos da vida oculta, necessários aos seus experimentos.

Obviamente, os cientistas jamais se safaram inteiramente dessa tutela indireta exercida por outro poder. Talvez seja essa a razão por que resolveram manter relações diplomáticas com os magos, possivelmente aguardando o momento de se libertarem e agirem sem o controle desses seres perigosos, que engendram sua própria política de domínio.

Para tanto, em ocasiões diversas, os magos recorriam aos cientistas, que, por sua vez, viam-se obrigados a ceder experimentos em troca da obtenção de recursos da vida astral. Como suspeitam de que os magos têm ligação com outra formação de poder, superior em hierarquia, por pura motivação política resolveram trabalhar em parceria. “Caso algum dia a legião dos senhores da escuridão seja reconhecida em todo o território astral como figura determinante do poder, os cientistas já estariam preparados, mas não inteiramente submissos."
  
Há décadas que, em determinadas reuniões mediúnicas, alguns dos integrantes suspeitaram ou detectaram a presença de seres diferentes, sem emoções, completamente destituídos de sentimentos. Contudo, não podiam expressar suas percepções sem que fossem confundidas com imaginação fértil e fantasiosa, ou sem tê-las enquadradas como efeito de puro animismo.

Transcorrido o tempo, esses seres artificiais foram sendo percebidos com maior freqüência, e, na atualidade, não se pode desprezar tais criaturas, fruto da tecnologia astral colocada a serviço da obsessão.

"Essa conclusão suscita algumas questões palpitantes, que merecem ser debatidas e estudadas por todos.”

Em que casos são mais utilizados os clones?

Como é seu mecanismo de ação e com quais finalidades entram em cena?

Uma tecnologia tão avançada não é facilmente viabilizada, nem mesmo na dimensão extra física. Se ainda assim topamos com esses seres artificiais, o que representam de tão importante, dentro do estratagema maquiavélico traçado por cientistas, magos ou outras entidades do astral inferior?

(Retirado do livro Legião - Um olhar sobre o reino das sombras de Ângelo Inácio e Robson Pinheiro)

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Sigamos com Jesus


Sigamos com Jesus

Maomé foi valoroso condutor de homens.
Milhões de pessoas curvaram-se-lhe às ordens.
Todavia, deixou o corpo como qualquer mortal e seus restos foram encerrados numa urna, que évisitada, anualmente, por milhares de curiosos e seguidores.
Carlos 5º, poderoso imperador da Espanha, sonhou com o domínio de toda a Terra, dispôs de riquezas imensas, governou muitas regiões; entretanto, entregou, um dia, a coroa e o manto ao asilo de pó.
Napoleão era um grande homem.
Fez muitas guerras.
Dominou milhões de criaturas.
Deixou o nome inesquecível no livro das nações.
Hoje, porém, seu túmulo é venerado em Paris...
Muita gente faz peregrinação até lá, para visi¬tar-lhe os ossos...
Como acontece a Maomé, a Carlos 5º e a Napoleão, os maiores heróis do mundo são lembrados em monumentos que lhes guardam os despojos.
Com Jesus, todavia, é diferente.
No túmulo de Nosso Senhor, não há sinal de cinzas humanas.
Nem pedrarias, nem mármores de preço, com frases que indiquem, ali, a presença da carne e do sangue.
Quando os apóstolos visitaram o sepulcro, na gloriosa manhã da Ressurreição, não havia aí nem luto, nem tristeza.
Lá encontraram um mensageiro do reino espiritual que lhes afirmou: “Não está aqui.”
E o túmulo está aberto e vazio, há quase dois mil anos.
Seguindo, pois, com Jesus, através da luta de cada dia, jamais encontraremos a angústia da morte e, sim, a vida incessante.
No caminho de notáveis orientadores do mundo poderemos encontrar formosos espetáculos da glória passageira; contudo, é muito difícil não terminarmos a experiência em desilusão e poeira.
Somente Jesus oferece estrada invariável para a Ressurreição Divina.
Quem se desenvolve, portanto, com o exemplo e com a palavra do Mestre, trabalhando por revelar bondade e luz, em si mesmo, desde as lutas e ensinamentos do mundo, pode ser considerado cidadão celeste.
ALVORADA CRISTÃ
Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo Espírito Neio Lúcio

Pérolas da Doutrina



Pérolas da Doutrina

Ensinamentos que não podemos Esquecer:

Livro dos Espíritos
Caridade e amor do próximo

459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos?“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.”

621. Onde está escrita a lei de Deus?“Na consciência.”
a) - Visto que o homem traz em sua consciência a lei de Deus, que necessidade havia de lhe ser ela revelada?“Ele a esquecera e desprezara. Quis então Deus lhe fosse lembrada.”

625. Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo?
Jesus.

659. Qual o caráter geral da prece?
“A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar Nele; é aproximar-se Dele; é pôr-se em comunicação com Ele. A três coisas podemos propor-nos por meio da prece: louvar, pedir, agradecer.”

660. A prece torna melhor o homem?

“Sim, porquanto aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.”

a) - Como é que certas pessoas, que oram muito, são, não obstante, de mau caráter, ciosas, invejosas, impertinentes, carentes de benevolência e de indulgência e até, algumas vezes, viciosas?

“O essencial não é orar muito, mas orar bem. Essas pessoas supõem que todo o mérito está na longura da prece e fecham os olhos para os seus próprios defeitos. Fazem da prece uma ocupação, um emprego do tempo, nunca, porém, um estudo de si mesmas. A ineficácia, em tais casos, não é do remédio, sim da maneira por que o aplicam.”

842. Por que indícios se poderá reconhecer, entre todas as doutrinas que alimentam a pretensão de ser a expressão única da verdade, a que tem o direito de se apresentar como tal?“Será aquela que mais homens de bem e menos hipócritas fizer, isto é, pela prática da lei de amor na sua maior pureza e na sua mais ampla aplicação. Esse o sinal por que
reconhecereis que uma doutrina é boa, visto que toda doutrina que tiver por efeito semear a desunião e estabelecer uma linha de separação entre os filhos de Deus não pode deixar de ser falsa e perniciosa.”

886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”

O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça. pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.
A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque da indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer. Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe são dispensadas. Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela. No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa.

893. Qual a mais meritória de todas as virtudes?“Toda virtude tem seu mérito próprio, porque todas indicam progresso na senda do bem. Há virtudes sempre que há resistência voluntária ao arrastamento dos maus pendores.
A sublimidade da virtude, porém, está no sacrifício do interesse pessoal, pelo bem do próximo, sem pensamento oculto. A mais meritória é a que assenta na mais desinteressada caridade.”

899. Qual o mais culpado de dois homens ricos que empregam exclusivamente em gozos pessoais suas riquezas, tendo um nascido na opulência e desconhecido sempre a necessidade, devendo o outro ao seu trabalho os bens que possui?“Aquele que conheceu os sofrimentos, porque sabe o que é sofrer. A dor, a que nenhum alívio procura dar, ele a conhece; porém, como freqüentemente sucede, já dela se não lembra.”

909. Poderia sempre o homem, pelos seus esforços, vencer as suas más inclinações?“Sim, e, freqüentemente, fazendo esforços muito insignificantes. O que lhe falta é a vontade. Ah! Quão poucos dentre vós fazem esforços!”

911. Não haverá paixões tão vivas e irresistíveis, que a vontade seja impotente para dominá-las?“Há muitas pessoas que dizem: Quero, mas a vontade só lhes está nos lábios.
Querem, porém muito satisfeitas ficam que não seja como “querem”. Quando o homem crê que não pode vencer as suas paixões, é que seu Espírito se compraz nelas, em conseqüência
da sua inferioridade
. Compreende a sua natureza espiritual aquele que as procura reprimir.
Vencê-las é, para ele, uma vitória do Espírito sobre a matéria.”

912. Qual o meio mais eficiente de combater-se o predomínio da natureza corpórea?“Praticar a abnegação.”

919. Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal?“Um sábio da antiguidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.”

Livro dos Médiuns
Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos. Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns. Todavia, usualmente, assim só se qualificam aqueles em quem a faculdade mediúnica se mostra bem caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que então depende de uma organização mais ou menos sensitiva. E de notar-se, além disso, que essa faculdade não se revela, da mesma maneira, em todos. Geralmente, os médiuns têm uma aptidão especial para os fenômenos desta, ou daquela ordem, donde resulta que formam tantas variedades, quantas são as espécies de manifestações.
As principais são: a dos médiuns de efeitos físicos; a dos médiuns sensitivos, ou impressionáveis; a dos audientes; a dos videntes; a dos sonambúlicos; a dos curadores; a dos pneumatógrafos; a dos escreventes, ou psicógrafos.
Fonte:
Livro dos Médiuns – Cap. XIV, item 159

9ª Qual o médium que se poderia qualificar de perfeito?
"Perfeito, ah! bem sabes que a perfeição não existe na Terra, sem o que não estaríeis nela. Dize, portanto, bom médium e já é muito, por isso que eles são raros.
Médium perfeito seria aquele contra o qual os maus Espíritos jamais ousassem, uma tentativa de enganá-lo. O melhor é aquele que, simpatizando somente com os bons Espíritos, tem sido o menos enganado."

Cap. XX, item 9

O Evangelho Segundo O Espiritismo
Advento do Espírito de Verdade
Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo. No Cristianismo encontram-se todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram. Eis que do além-túmulo, que julgáveis o nada, vozes vos clamam: "Irmãos! Nada perece. Jesus-Cristo é o vencedor do mal, sede os vencedores da impiedade." - O Espírito de Verdade. (Paris, 1860.)

Kardec de possível erro foi consciente,


Kardec de possível erro foi consciente,
                  mas nem Jesus
é onisciente


Nos processos de canonização de um santo, a Igreja tem o conhecido advogado do diabo, que esmiúça a vida do santo, para encontrar nele algum erro grave que impeça a sua canonização. Mas defeito simples é tolerável.

De fato, quem vem a esse vale de lágrimas, como diz a Salve Rainha, ou mundo de provas e expiações para o Espiritismo, é quem ainda é imperfeito. A exceção é Jesus.  É que ainda não somos purificados e, pois, vitoriosos: “Aquele que se tornar vitorioso, eu o transformarei em coluna no Reino dos Céus, e dali ele não sairá mais” (Apocalipse 3: 12). Mas o Espírito já purificado, livre do Purgatório ou da lei de causa e efeito, não precisa mais de reencarnar. Diz o apóstolo Paulo que combateu o bom combate (2 Timóteo 4: 7). Mas só Jesus pode dizer: Eu venci o mundo (João 16: 33).

Na época de Kardec, a ciência antropológica, ainda muito atrasada, era racista. Para ela, a raça branca era a mais inteligente. E o cientista Kardec recebeu um pouco da influência dessa ciência. Eu disse um pouco, pois tal influência não foi suficiente para torná-lo um racista. Já a Igreja e as outras igrejas cristãs eram racistas, haja vista que elas toleravam a escravidão negra.

E Kardec não se sentia bem diante daquela situação. De certa feita, ele disse meio desconsertado esta frase, que não era dele, mas dos cientistas seus contemporâneos: “Diz-se que o negro é um ser humano grosseiro, pouco inteligente etc.”. Até acreditamos que Kardec, por causa da ciência e das religiões ocidentais a favor desse preconceito, tenha ficado um pouco tímido em sua posição contra o racismo. É que ele estava, como se diz, de mãos e pés amarrados diante daquela situação. É que como cientista e respeitador, pois, da ciência e também das religiões, ele era prudente em combater as ideias delas. Mas seria um grande equívoco concluir disso que ele era racista, como alguns fanáticos antikardecistas, dando uma de advogados do diabo, em vão, tentam passar essa imagem dele. Ademais, a doutrina espírita, através das entidades manifestantes da Codificação Espírita, já se mostrava, naquela época, radicalmente contrária à escravidão negra. (“O Livro dos Espíritos”, questões 54, 831 e 918; e “O Evangelho segundo o Espiritismo”, capítulo 17, item 3.) E Kardec a condenou também (“Revista Espírita” de abril de l862).

Entretanto, Kardec muito sensato e muito apegado à evolução, era consciente de que poderia ter cometido algum erro nas questões doutrinárias espíritas. Não tão grave para ser derrotado por “um advogado do diabo” e não “poder ser canonizado”! Era também de opinião que um Espírito da Codificação, apesar de iluminado, poderia ter cometido, igualmente, algum equívoco. Por isso disse que, se futuramente, com a evolução, houvesse alguma discordância entre um ensino doutrinário e a ciência, que os espíritas seguissem a ciência. Ele era, pois, consciente de que tanto ele, como os Espíritos, mesmo iluminados, estavam sujeitos a erros.

Aliás, nem Jesus era onisciente. Perguntaram-Lhe quando seria o final dos tempos (São Mateus 24: 36). Ele respondeu que nem os anjos nem Ele sabiam, e que somente Deus, o Pai, o sabia!


A paz que trago hoje em meu peito



A paz que trago hoje em meu peito é diferente da paz que eu sonhei um dia...
Quando se é jovem ou imaturo, imagina-se que ter paz é poder fazer o que se quer, repousar, ficar em silêncio e jamais enfrentar uma contradição ou uma decepção.
Todavia, o tempo vai nos mostrando que a paz é resultado do entendimento de algumas lições importantes que a vida nos oferece. A paz está no dinamismo da vida,no trabalho, na esperança, na confiança, na fé...
Ter paz é ter a consciência tranqüila, é ter certeza de que se fez o melhor ou, pelo menos, tentou...
Ter paz é assumir responsabilidades e cumpri-las, é ter serenidade nos momentos mais difíceis da vida.
Ter paz é ter ouvidos que ouvem, olhos que vêem e boca que diz palavras que constroem.
Ter paz é ter um coração que ama...
Ter paz é brincar com as crianças, voar com os passarinhos, ouvir o riacho que desliza sobre as pedras e embala os ramos verdes que em suas água se espreguiçam...
Ter paz é não querer que os outros se modifiquem para nos agradar, é respeitar as opiniões contrárias, é esquecer as ofensas.
Ter paz é aprender com os próprios erros, é dizer não, quando é não que se quer dizer... Ter paz é ter coragem de chorar ou de sorrir quando se tem vontade...
É ter forças para voltar atrás, pedir perdão, refazer o caminho, agradecer...ter paz é admitir a própria imperfeição e reconhecer os medos, as fraquezas, as carências...
A paz que hoje trago em meu peito é a tranqüilidade de aceitar os outros como são, e a disposição para mudar as próprias imperfeições.
É a humildade para reconhecer que não sei tudo e aprender até com os insetos... É a vontade de dividir o pouco que tenho e não me aprisionar ao que não possuo.
É melhorar o que está ao meu alcance, aceitar o que não pode ser mudado e ter lucidez para distinguir uma coisa da outra.
É admitir que nem sempre tenho razão e, mesmo que tenha, não brigar por ela.
A paz que hoje trago em meu peito é a confiança naquele que criou e governa o mundo...
A certeza da vida futura e a convicção de que receberei, das leis soberanas da vida, o que a elas tiver oferecido.
Pense nisso!
Às vezes, para manter a paz que hoje mora em teu peito, é preciso usar um poderoso aliado chamado silêncio.
Lembra-te de usar o silêncio quando ouvir palavras infelizes.
Quando alguém está irritado.
Quando a maledicência te procura.
Quando a ofensa te golpeia. Quando alguém se encoleriza.
Quando a crítica te fere. Quando escutas uma calúnia.
Quando a ignorância te acusa. Quando o orgulho te humilha.
Quando a vaidade te provoca.
O silêncio é a gentileza do perdão que se cala e espera o tempo, por isso é uma poderosa ferramenta para construir e manter a paz.

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação." Chico Xavier - Emmanuel



FALIBILIDADE

FALIBILIDADE

         Ante as devastações do mal, apóia o trabalho que objetive o retorno ao bem.

        Até que o espírito se integre no Infinito Amor e na Sabedoria Suprema, em círculos de manifestação que, por agora, nos escapam ao raciocínio, a falibilidade é compreensível, no campo de cada um, tanto quanto o erro é natural no aprendiz em experiência na escola.

        A educação não forma autômatos.

        A Ordem Universal não cria fantoches.
*
        Onde haja desastre, auxilia a restauração.

        Mobiliza as forças de que dispões, sanando os desequilíbrios, ao invés de consumir ação e verbo, atitude e tempo, grafando a veneno o labéu da censura.

        Anotaste lances calamitosos nos delitos que o tribunal terrestre não é capaz de prever ou desagravar.

        Viste homens e mulheres, cercados de apreço público, aniquilarem existências preciosas, derramando o sangue de corações queridos em forma de lágrimas; surpreendeste cidadãos abastados e aparentemente felizes, que humilharam os próprios pais, reduzindo-os à extrema pobreza, ao preço de documentos espúrios; assinalaste pessoas açucaradas e sorridentes que induziram outras ao suicídio e à criminalidade, sem que ninguém as detivesse; identificaste os que abusaram do poder e do ouro, erguendo tronos sociais para si próprios, à custa do pranto que fizeram correr, muitas vezes com o aplauso dos melhores amigos, e conheceste carrascos de olhos doces e palavras corretas que escamotearam a felicidade dos semelhantes, abrindo as portas do hospício ou da penitenciaria para muitos daqueles que  lhes confiaram os tesouros da convivência, sem que o mundo os incomodasse.

        Apesar disso, não necessitas enlamear-lhes o nome ou incendiar-lhes a senda. Todos eles voltarão ao quadro escuro das faltas cometidas, através de continuadas reencarnações, em dificuldades amargas, nos redutos da prova, a fim de lavarem a consciência.
*
        Se a maldade enodoa essa ou aquela situação, faze o melhor que possas para que a bondade venha a surgir.

        Segue entre os homens, abençoando e ajudando, ensinando e servindo...

        Todas as vítimas das trevas serão trazidas à luz e todos os caídos serão levantados, ainda que, para isso, a espoja do sofrimento tenha de ser manejada pelos braços da vida, em milênios de luta. Isso porque as Leis Divinas são de justiça e misericórdia e a Providência Inefável jamais decreta o abandono do pecador.

(De “Justiça Divina”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

quinta-feira, 28 de junho de 2012

AMIGO INGRATO

AMIGO INGRATO



Joanna de Ângelis, Da obra: Momentos de Felicidade
psicografia de Divaldo Pereira Franco

Causa-te surpresa o fato de ser o teu acusador de agora, o amigo aturdido de ontem, que um dia pediu-te abrigo ao coração gentil e ora não te concede ensejo, sequer, para esclarecimentos.

Despertas, espantado, ante a relação de impiedosas queixas que guardava de ti, ele que recebeu, dos teus lábios e da tua paciência, as excelentes lições de bondade e de sabedoria, com as quais cresceu emocional e culturalmente.

Percebes, acabrunhado, que as tuas palavras foram, pelo teu amigo, transformadas em relhos com os quais, neste momento, te rasga as carnes da alma, ele, que sempre se refugiou no teu conforto moral.

Reprocha-te a conduta, o companheiro que recebeste com carinho, sustentando-lhe a fragilidade e contornando as suas reações de temperamento agressivo.

Tornou-se, de um para outro momento, dono da verdade e chama-te mentiroso.


Ofereceste-lhe licor estimulante e recebes vinagre de volta.


Doaste-lhe coragem para a luta, e retribui-te com o desânimo para que fracasses.


Ele pretende as estrelas e empurra-te para o pântano.

Repleta-se de amor e descarrega bílis na tua memória, ameaçando-te sem palavras.

*

Não te desalentes!

O mundo é impermanente.

O afeto de hoje torna-se o adversário de amanhã.

As mãos que perfumas e beijas, serão, talvez, as que te esbofetearão, carregadas de urze.

*

Há mais crucificadores do que solidários na via de redenção.

Esquecem-se, os homens, do bem recebido, transformando-se em cobradores cruéis, sem possuírem qualquer crédito.

Talvez o teu amigo te inveje a paz, a irrestrita confiança em Deus, e, por isto, quer perturbar-te.

Persevera, tranqüilo!

Ele e isto, esta provação, passarão logo, menos o que és, o que faças.

Se erraste, e ele te azorraga, alegra-te, e resgata o teu equívoco.

Se estás inocente, credita-lhe as tuas dores atuais, que te aprimoram e te aproximam de Deus.
*
Não lhe guardes rancor.

Recorda que foi um amigo, quem traiu e acusou Jesus; outro amigo negou-O, três vezes consecutivas, e os demais amigos fugiram dEle.

Quase todos O abandonaram e O censuraram, tributando-Lhe a responsabilidade pelo medo e pelas dores que passaram a experimentar. Todavia, Ele não os censurou, não os abandonou e voltou a buscá-los, inspirá-los e conduzi-los de volta ao reino de Deus, por amá-los em demasia.

Assim, não te permitas afligir, nem perturbar pelas acusações do teu amigo, que está enfermo e não sabe, porque a ingratidão, a impiedade e a indiferença são psicopatologias muito graves no organismo social e humano da Terra dos nossos dias.