quinta-feira, 18 de abril de 2013

Saudações ao dia 18 de abril!


São muito justas as alegrias que nos envolvem pela ocorrência sempre grata trazida pelo dia 18 de abril, data comemorativa do lançamento de O Livro dos Espíritos, em 1857na cidade de Paris. A lucidez da obra, o alicerce granítico dos fundamentos que representa e os desdobramentos próprios de sua grandeza oferecem perspectivas inesgotáveis para o progresso intelecto-moral da humanidade.
      Selecionei pequenos trechos em algumas respostas das questões da obra para saudar a data (a numeração que antecede o texto é o número da pergunta no livro):
a)     826 – “(...) Desde que haja dois homens juntos, eles têm direitos a respeitar e não têm mais, por conseguinte, liberdade absoluta”.
b)     837 – “(...) A liberdade de consciência é um dos caracteres da verdadeira civilização e do progresso”.
c)      851 –“(...) para o que é prova moral e tentações, o Espírito, conservando seu livre arbítrio sobre o bem e sobre o mal, é sempre senhor de ceder ou resistir (...)”.
d)     860 – “(...) Ademais, para fazer o bem, como o deve ser, e como isso é o único objetivo da vida, pode impedir o mal, sobretudo aquele que poderia contribuir para um mal maior”.
e)     779 – “(...) nem todos progridem ao mesmo tempo e da mesma forma; é então que os mais avançados ajudam o progresso dos outros, pelo contato social”.
f)       783 – “(...) quando um povo não avança muito depressa, Deus lhe suscita, de tempos em tempos, um abalo físico ou moral, que o transforma”.
g)     784 – “(...) É preciso o excesso do mal para  fazer compreender a necessidade do bem e das reformas”.
h)     785 – “O orgulho e o egoísmo são o maior obstáculo ao progresso”.
i)       793 – “(...) não tereis, verdadeiramente, o direito de vos dizer civilizados senão quando  houverdes banido de vossa sociedade os vícios que a desonram e puderdes viver, entre vós, como irmãos, praticando a caridade cristã (...)”.
Os trechos acima, parciais, foram extraídos dos capítulos Lei de Liberdade eLei do Progresso. Cada item destes é material suficiente para desenvolvimento de teses e reflexões de profundidade, fornecendo ainda conteúdo para debates, encontros, congressos, simpósios e abordagens inesgotáveis, tamanha a riqueza de suas linhas.
Por outro lado, note-se a atualidade de tais conceitos e ensinos. São muito oportunos para o tempo que estamos vivendo, ensejando compreender mais os desafios da atualidade e, ao mesmo tempo, oferecendo roteiros de mudanças para melhorar a sociedade e partir da melhora individual.
Sugiro ao leitor deter-se pausadamente em cada um dos itens, individualmente, pensar e refletir sobre o ensino que trazem e situá-lo na atualidade de nosso tempo com seus desafios imensos e perspectivas que se apresentam à humanidade. Ver-se-á, com clareza, a lucidez de suas afirmações, com ensejo até da elaboração de um programa de autoaperfeiçoamento e igualmente motivador para a coletividade.
Percebe-se, pois, o dever de divulgar tais ensinos. Mas não apenas a divulgação, mas também a inclusão em debates, temas para encontros e estudos e uso nas diversas mídias disponíveis motivando ao grande público, especialmente os que não conhecem o Espiritismo, para essas reflexões na ampliação do conhecimento que sensibilize para as grandes transformações necessárias que todos esperamos.
Saudações, pois, ao 18 de abril, data magna da Doutrina Espírita!

Nenhum comentário:

Postar um comentário