segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

INTUIÇÃO



INTUIÇÃO


Intuição: ato de ver; percepção clara, reta, imediata, de verdades, sem necessidade da intervenção do raciocínio; pressentimento.

Dissecando a palavra pressentimento temos o pré-sentimento, ou seja, um sentir antecipado. Não se usa um pré-raciocínio e nem o pré-mentalização para traduzir a intuição, portanto, concluímos que o veículo da intuição é o sentimento.

A criatura intuitiva nunca diz que está "pensando" em algo que vai acontecer e teme, diz sim: "estar sentindo "que algo irá ocorrer", por isso teme. Ou, diz-se que certa pessoa passa uma imagem que "sentimos" que não é verdadeira. Tudo são exemplos de como se processa uma intuição que nada tem em comum com a mente.

As mulheres por utilizarem mais os sentimentos do que o intelecto estão mais abertas para a captação das mensagens intuitivas do que os homens. Isso não generaliza, há homens também extremamente sensíveis que possuem o dom da intuição em alto grau, tudo depende do esforço de cada um para ampliar o sentir.
Certas pessoas que embora tenham o dom intuitivo nem sempre poderá afirmar que tudo que sente seja algo que irá ocorrer; pode sim, que seja um sentimento interno que a faça querer que algo aconteça. Por isso é importante estudar seus sentimentos para saber identificar e diferenciar a mensagem que pode ser mais anímica do que intuitiva.

O crescimento da ciência e tecnologia fez o homem se tornar mais racional do que sentimental; não o sentimental piegas, mas o ser amoroso por excelência.
Para evoluirmos é necessário possuir consciência plena do que somos e do que sentimos. Só a clareza mental não é suficiente é necessário possuir o domínio dos sentimentos.

Copio em seguida, uma frase da Revista Veja de janeiro de 1997:
“Empresas e escolas aderem à tese de que o sucesso depende mais dos sentimentos do que do Q.I.”.

É a chamada Inteligência Emocional. Um homem poderá possuir cabedais de conhecimentos numa área se não tiver um equilíbrio e domínio em suas emoções poderá fracassar em qualquer atividade humana. O artigo se resume em indicar aos educadores o equilíbrio entre a mente e o coração; ambos atuam em conjunto.
Voltando ao assunto intuição está comprovado que a criatura mais intuitiva é aquela que buscou conhecer o seu sentir. Não se domina o que não se conhece.
Um ser muito racional possui fraca intuição.

O ser equilibrado nos sentimentos é o que se dá bem nos relacionamentos amorosos, no trabalho, lar e escola. Não os que são sensações em festas e reuniões, mas, os que não entram em conflito com ninguém. É o que chamamos de criatura pacífica, a que dominou a si própria. Domou suas reações emocionais negativas.

COMO IDENTIFICAR NOSSOS SENTIMENTOS

Auto-análise

Observar o que os outros falam de nós, não tanto os elogios, mas as críticas. Os outros observam melhor o que somos.
Quando estamos sentindo que algo está nos incomodando por dentro, parar e buscar a causa da perturbação, não deixando este sentimento persistir e nem culpemos o "lado de fora" por este incômodo. A causa está em nós e não nos outros.
Desde que os nossos sentimentos são propriedades nossa só nós podemos modificá-los. Quando sentimos que alguém tenta nos ofender só iremos, realmente, nos sentir ofendidos se deixarmos. Ninguém "entra em nós” e mexe em nossos sentimentos. Somos donos e responsáveis do que sentimos e não os outros.

Não podemos mudar as criaturas que nos perturbam, mas podemos nos educar para não nos sentirmos incomodados por elas.
Ao notarmos uma criatura superior em inteligência, beleza, sucesso ou riquezas, observemos o que sentimos em relação a elas. Se for admiração é positivo, mas se for algo que não confessamos nem a nós mesmos como a inveja, então é sinal para mudarmos.
Quando sentirmos uma paz imensa e um amor pleno por todas as criaturas é quando nos aproximamos de Deus.
Ampliar estes sentimentos é a maior tarefa da vida.


"Deus é Amor" e se somos deuses temos que ser Amor para receber suas mensagens por via da intuição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário