sexta-feira, 23 de setembro de 2011

“Há muitas ,,,,,,,,,,



“Há muitas Moradas na Casa do Pai”
– Jesus e a Pluralidade dos Mundos Habitados


“Não se turbe o vosso coração. Crede em Deus, crede também em mim. – Há muitas moradas na casa de meu Pai. Se assim não fosse, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos o lugar. E depois que eu me for, e vos aparelhar o lugar, virei outra vez e tomar-vos-ei para mim, para que lá onde estiver, estejais vós também.” Jesus (João, 14: 1-3.)

Ao proferir essas palavras aos seus discípulos, Jesus evidencia a grandeza do universo “casa do meu pai” e revela a existência nele de diversos mundos habitados, quando se refere as “muitas moradas”. O Evangelho Segundo o Espiritismo vem nos esclarecer, que essa diversidade de mundos habitados varia de acordo com os diferentes estados da alma na erraticidade, ou seja, para cada mundo existe um grau relativo ao estágio evolutivo dos seus habitantes.

Tomando como base o planeta terra, podemos asseverar, segundo os ensinamentos dados pelos espíritos, da existência de mundos inferiores, outros num mesmo estágio e outros em um grau de adiantamento bastante superior ao nosso orbe.

Podemos assim, classificá-los:

Os mundos primitivos são aqueles em que a alma humana encontra-se ainda nos primórdios das reencarnações, onde ela experimenta os primeiros estágios de manifestação.

Os mundos de provas e expiações, onde encontra-se classificado o planeta terra. Neles o mal ainda domina, sobrepujando o bem que muito embora estando presente em minoria, cresce com o tempo, à medida que o progresso científico vai-se aliando ao progresso moral dos seus habitantes.

Os mundos regeneradores, onde o bem já existe em grande escala e a alma regenera-se, cansada das refregas. Existe nele a predominância dos valores espirituais sobre os materiais.

Os mundos felizes, onde o bem se sobrepõe ao mal, que quase já não existe.

Os mundos celestes ou divinos, onde o bem reina completamente, é a morada dos espíritos depurados.

Em o Evangelho Segundo o Espiritismo cap.III item 4, podemos verificar os espíritos referindo-se aos “mundos intermediários”, onde “há mistura do bem e do mal”, predominando-se um ou outro de acordo com o grau de adiantamento, portanto, o nosso planeta é um desses mundos intermediários, que atualmente, encontra-se em fase de transição para mundo de regeneração. As evidências dessa transição encontram-se facilmente observadas na atual situação moral planetária.

Nesse estágio são reencarnados no planeta espíritos das mais variadas categorias, desde os mais primitivos, aos mais adiantados, sendo esses, responsáveis pelo progresso daqueles outros. Assim sendo, o mundo intermediário, funciona como um educandário espiritual em que todos evoluem gradativamente a seu tempo, até que uma vez concluída essa etapa, neles somente reencarnarão os espíritos que galgaram as condições necessárias para habitá-los. Os demais, que permaneceram estacionários terão ainda que reencarnar em mundos inferiores, equivalentes ao seu estágio moral, onde irão vivenciar as provas e expiações necessárias ao seu adiantamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário