sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

VIAGEM ASTRAL

VIAGEM ASTRAL
"Antes que se rompa o fio de praia e se despedace o copo de ouro, e se quebre o cântaro junto à fonte, e se desfaça a roda junto ao poço... e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu ".
Eclesiastes, 12: 6 e 7.

Pelo texto acima citado fica o leitor obrigado a usar a sua honestidade, no sentido de que a sua razão possa falar mais alto, para que o coração escute na sua maior sensibilidade espiritual.
O Rei Salomão, quando já idoso, passou a intercalar sua excelente sabedoria, colhida na esteira de variadas reencarnações, em processos de inúmeros fatores, com os sentimentos. O tempo lhe ensinou que o verdadeiro sábio somente pode voar para as alturas com duas asas: Conhecimento e Amor.
Quem ler essa passagem belíssima do Eclesiastes, que ora usamos como inspiração, não poderá alimentar dúvidas de que o filho de Davi tinha pleno conhecimento dos segredos que só os iniciados portavam. No entanto, o tempo obliterou muitos dos seus escritos no sentido da alta iniciação, tanto dele como de muitos escritores do passado, um dos quais a gratidão não nos deixa esquecer, por ter deixado no mundo as marcas de sua grande iniciação espiritual e cujo nome pronunciamos com reverência: Apolônio de Tiana. Permita Deus que esse Espírito de escol possa visitar a Terra periodicamente e nos saturar com a sua atmosfera de saber e a sua tranqüilidade imperturbável.
Salomão tinha plena consciência de que a vida continua depois do túmulo e ainda descreve os corpos, ou alguns deles, de maneira extraordinária. Sabia que quando se dava a morte, partia-se algo entre os dois corpos, que a Doutrina dos Espíritos classificou como sendo o cordão fluídico e que ele, sabiamente, chamou de fio de prata. De fato, esse nome é certíssimo, e os ocultistas, antigos e modernos, também o chamam assim. Ele, na verdade, se parece com fios de prata, brilhantes, ligando as cabeças, do físico e do duplo.
Salomão era um rei iniciado. Dentre seus deslizes, que alguns escritores religiosos anotam, um era o harém, regurgitando de muitas concubinas. Sabemos hoje que isso era uma prova pela qual tivera de passar, visando a sua necessária educação no campo dos sentimentos. E como se educar, afastando-se dos perigos? Quem ataca o nosso querido personagem, se esquece de pesquisar sobre o seu comportamento, depois que os anos abriram seu generoso coração para a luz do amor verdadeiro. Entretanto, tudo é válido para que possamos colher em todas essas lavouras do passado os frutos e as flores que nos sustentam e embelezam a nossa existência. E, ainda mais, nos deliciamos com o perfume do Cristo em tudo que se mostra ante a natureza, pródiga e benfeitora.
As leis espirituais nos garantem que ninguém recebe o que não merece. Tudo que vem ao nosso encontro é exatamente o que buscamos em nossas necessidades evolutivas. Por vezes, nosso pensamento imediato é de que sofremos sem sentido ou que não merecemos. Quanto nos enganamos, porém! Repetimos, tudo vem a seu tempo e são lições abençoadas que nos fazem crer com mais firmeza e nos adiantar com mais segurança. As leis de Deus são irremovíveis e inalteráveis. Nós outros é que as compreendemos e as sentimos de acordo com a nossa capacidade, peculiar ao estado em que nos encontramos, na escala a qual pertencemos.
A humanidade sempre recebeu o que deveria receber. Para tanto, existem grandes mestres da espiritualidade maior vigiando as criaturas da Terra, com muito amor, porém, sem esquecer a energia no momento preciso, como sendo também amor em outra faixa educativa. E esses censores espirituais somente deixam passar para os homens, os ensinamentos que dizem respeito às suas mais urgentes necessidades. No entanto, a justiça se faz em alta expressão, de modo que, quem precisa de mais luz, recebe essa luz que se faz presente utilizando a capacidade do próprio indivíduo.
O homem do presente pode atingir alto grau de evolução espiritual quando na carne, dependendo, em grande parte, da sua boa vontade em se educar, em usar a teoria juntamente com a prática em todos os momentos da vida.
Se pudesses aquilatar o esforço gigantesco que fez o Rei Salomão, nos seus dez últimos anos de existência terrena, visando à educação da sua personalidade! A metamorfose que se operou no seu mundo intimo causou espanto até aos mestres que com ele conviviam, em altas vibrações de amor e paz.
Ninguém, vamos repetir, vence o perigo correndo dele. Busquemos a reconciliação com nossos inimigos, seguindo a orientação do apóstolo Pedro, nesta curta, porém luminosa frase:
Granjeai amigos, por serdes todos irmãos, herdeiros do Pai celestial.
O tema que escolhemos, Viagem Astral, é, certamente, para colocar esse assunto em evidência nos meios que cultivam o espiritualismo, no seio daqueles que já buscam os ensinamentos do Cristo com o coração e sabem usar a inteligência para enriquecê-los, nos bastidores da palavra.
Estes ensinamentos são o ponto de partida para as viagens astrais. Sabemos que tal assunto não é acessível, no momento, a todas as criaturas. Dizemos que todos carregam os dons espirituais em estado de sono, depositados no coração e na mente, pelo poder de Deus. Entrementes, podemos fazer alguma coisa para que essas sementes divinas possam desabrochar com maior vigor e mais depressa, se fizermos a nossa parte.
Não tentes fazer viagens astrais sem os devidos conhecimentos dos perigos que possam ocorrer. É de bom senso procurar um instrutor consciencioso neste campo imenso da ciência universal e valiosa, pessoa confirmada pelas experiências e pela vida que leva no seio da sociedade, de conduta irrepreensível, pensamentos retos, exemplificação como homem de bem, de que o amor e a caridade sejam a capa, nas lides de cada dia.
Nunca penses que não existe tal pessoa, porque ainda não atingistes esses estados espirituais. Nunca penses assim, meu irmão, para que não se fechem as portas invisíveis, tornando difícil o encontro com esses irmãos onde eles se encontram, no silêncio da humildade e do saber.
Estamos no fim dos tempos, dos tempos do Mal. É bom que se compreenda a grande transformação nestes termos e não como o fim do mundo físico.
Os clarins já estão tocando, em busca das ovelhas escolhidas pelo Senhor para o grande vestibular da Verdade. Reveste-te de coragem e avança decididamente com o Cristo no coração e acima de tudo na vida, pois, desta forma, abrir-se-á à tua frente uma lavoura deslumbrante, onde poderás trabalhar na descoberta de ti mesmo. E com o decorrer do tempo, o sol haverá de nascer no horizonte do teu mundo individual, para jamais se apagar.
Dá os primeiros passos, trabalhando com os pensamentos e com as mãos, ajudando os caídos com a palavra de estímulo aos desventurados, com o pão ao faminto, com as vestes aos que sentem frio e nudez, que a inspiração maior servirá de ti como instrumento para outros labores de maior alcance, em zonas ou regiões nunca antes percebidas.
Faze alguma coisa, meu filho, antes que se rompa o fio de prata, antes que chegue o dia da tua mudança para a pátria dos espíritos, livre da matéria mais grosseira.
Aproveita as oportunidades que te foram dadas por Deus, de te engrandecer diante da eternidade e cumpre os compromissos assumidos durante os preparativos para reencarnar na Terra, antes que se despedace o copo de ouro. Ele é ouro divino em tuas mãos humanas. Aproveita-o bem, à medida que o teu coração ditar, com a consciência desperta em Jesus Cristo.
Não permitas que se quebre o cântaro junto à fonte, o cântaro dos teus ideais no Bem, junto à fonte da tua existência. Certamente terás outra que, no entanto, poderá te custar muitos sacrifícios e, quem sabe, muitos séculos de espera.
Desperta para os teus compromissos, sem que te esqueças das orações diante de Deus, para que Ele te ajude a compreender a hora de começar e te dê força no agir, antes que se desfaça a roda junto ao poço.
Estuda, para que não se desfaça a espiral da tua evolução, frente aos mananciais de conhecimentos que se encontram no Suprimento Maior, esperando a tua decisão, o teu pedir pelo trabalho, pela vida, pelo que deve ser.
Empenha-te para que o pó volte à terra como o era e o Espírito volte a Deus, que o deu, com a tranqüilidade de ter feito o melhor que pôde.
Pensa um pouco, companheiro da eternidade, e deixa cair as escamas que cegam teus olhos. Começa a trabalhar mas, a trabalhar dentro de ti em primeiro lugar, porque o maior campo de trabalho não está fora de nós; o maior inimigo a ser vencido é o conjunto de forças negativas geradas dentro de nós, com variados nomes, que todos identificamos em nossas intimidades diárias.
Compenetra-te no que fazer da tua vida e faze-o bem. Não faças da oração um vício, para não desmerecê-la; escolhe as horas que melhor te agradarem e confia na sua eficácia. Reveste-te de amor, para que Deus possa te dar a chave da alegria pura e fazer da tua palavra um poço, onde todos que te encontrem ou convivam contigo possam sorver a paz e o equilíbrio, sem que se esgotem os teus recursos. Nunca percas a oportunidade de ajudar, onde quer que seja.
O Sol, na sua missão de servir, sempre está aceso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário