quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

AÇÃO — BONDADE

AÇÃO — BONDADE
        A cobrança da gratidão diminui o valor da dádiva.
       O bem não tem preço, pois que, à semelhança do amor, igualmente não tem limite.
       Quando se faz algo meritório em favor do próximo, aguardando recompensa, eis que se apaga a qualidade da ação, em favor do interesse pessoal grandemente pernicioso.
       O Sol aquece e mantém o planeta sem qualquer exigência.
       A chuva abençoa o solo e o preserva rico, em nome do Criador, sustentando os seres, e se repete em períodos ritmados, não pedindo nada.
       O ar, que é a razão da vida, existe em tão harmonioso equilíbrio e discrição, que raramente as criaturas se dão conta da sua imprescindibilidade.
-o-
       Faze o bem com alegria e, no ato de realizá-lo, fruirás a sua recompensa.
       Ajuda a todos com naturalidade, como dever que te impões, a favor de ti mesmo, e te aureolarás de paz.
       Se estabeleces qualquer condição para ajudar, desmereces a tua ação, empalidecendo-lhe o valor.
       Une-te ao exército anônimo dos heróis e apóstolos da bondade. Ninguém te saberá o nome, no entanto, o pensamento dos beneficiados sintonizará com a tua generosidade, estabelecendo elos de ligação e segurança para a harmonia do mundo.
       Os que se destacam na ação comunitária e são aplaudidos, homenageados, sabem que, sem as mãos desconhecidas que os ajudam, coisa alguma poderiam produzir.
       Assim, os benfeitores verdadeiros são os da retaguarda e não os que brilham nos veículos da Comunicação.
       Aproveita o teu dia e vai semeando auxílios, esparzindo bondade de que esteja rica a tua vida, e provarás o licor da alegria na taça da felicidade de servir.
(De “Episódios Diários”, de Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Joanna de Ângelis)

Nenhum comentário:

Postar um comentário