quarta-feira, 13 de março de 2013

..Doenças Espirituais Compartilhadas

..Doenças Espirituais Compartilhadas - Espíritos obsessores - Vampirismo

Algumas doenças espirituais podem ocorrer em razão da atuação de espíritos obsessores que se ligam ao doente e o faz sofrer. Uma pessoa pode, em razão de seu comportamento mau, atrair para perto de si espíritos de mesma vibração. Por exemplo, uma pessoa que se entrega ao vicio da bebida, atrai para ele a presença de espíritos que, enquanto encarnados, eram igualmente viciados. Acabam por se tornarem parceiros no vicio. O doente ingere a bebida pelo prazer do beber, o espírito obsessor sente o prazer no hálito expelido pelo viciado.
No mesmo exemplo pode ocorrer de o doente ter o espírito obsessor como inimigo, pode tê-lo feito inimigo nesta vida ou em vidas passadas e, tendo ele desencarnado, aproveita-se dessa condição e o influencia para que use a bebida como meio de livrar-se dos problemas.
No "Livro dos Espíritos" é feita a seguinte pergunta: "474 ...a alma pode se encontrar na dependência de outro Espírito, de maneira a estar por ele subjugada ou obsediada, a ponto de sua vontade ficar, de algum modo, paralisada?".
A resposta é afirmativa: "Sim, e esses são os verdadeiros possessos. Mas é preciso entender que essa dominação nunca ocorre sem a participação daquele que a sofre, seja por sua fraqueza, seja por seu desejo."
Ou seja, a doença espiritual compartilhada pode ser [no primeiro caso] o resultado de uma vontade do próprio doente que busca o vicio por ser um espírito fraco, pois não quer lutar com suas próprias forças contra as adversidades, adversidade que na verdade serve para seu crescimento espiritual. Nesse caso, ao entregar-se ao vicio (bebida, drogas) encontra parceiros espirituais que o instigarão a beber mais ou a usar mais a droga como meio de escapar da adversidade. O espírito obsessor, neste exemplo quer apenas usar a pessoa para inalar os hálitos expelidos pelo obsediado.
Pode ser também [no segundo caso] o resultado de uma inimizade, iniciada nesta vida ou decorrente de outras vidas. O Obsessor, cheio de ódio pelo obsediado, o induz ao vício, fazendo-o sofrer e, por consequência, todos os seus familiares. É importante deixar claro que o espírito obsessor, quando faz a maldade, ele a faz de sua própria vontade e sofre as conseqüências futuramente. Deus pode deixá-lo fazer isso para pôr à prova o doente e o próprio obsessor, mas Deus não ordena que ele o faça, cabendo ao doente rejeitá-lo, buscando forças na oração e na orientação de mentores espirituais (conforme a crença do doente).
Aqui demos exemplo de uma pessoa que se entrega ao vicio da bebida ou das drogas, outras situações devem ser analisadas individualmente.
André Luiz (autor espiritual) afirma que "se a mente encarnada não conseguiu ainda disciplinar e dominar suas emoções e alimenta paixões (ódio, inveja, idéias de vingança), ela entrará em sintonia com os irmãos do plano espiritual, que emitirão fluidos maléficos para impregnar o perispírito do encarnado, intoxicando-o com essas emissões mentais e podendo levá-lo até à doença"...

Nenhum comentário:

Postar um comentário