terça-feira, 25 de janeiro de 2011

VIVER!


Eu estou vivo!
Parece-lhes pouco isto? Pois não é. Para mim, basta, e é a coisa mais importante que pude observar por aqui.



Estou vivo! Sabem vocês o que é isso? Sabem? Talvez não. Talvez nem de leve cogitem de que essa realidade objetiva e forte chegará um dia, sem que a desejem. Mas estar vivo, ser, existir, sobreviver após a morte física da matéria, é a magna pergunta que com medo nos ocorre quando nos defrontamos com o mistério, para muitos indevassável, da morte.



A morte é uma ilusão! Eu estou vivo!
Com minhas tristezas, com minhas vitórias e meus fracassos, com minhas alegrias e meus anseios. Sou eu. Eu existo! Eu!...



Poderão compreender o que sinto? Poderão sentir como eu a delícia de viver?



As nossas lágrimas nas lápides sombrias dos cemitérios ou nosso desespero frente à perda de um ente querido, tudo temporário, porquanto todos continuamos vivos, amando, sentido, sofrendo, aprendendo, reconstruindo.



Vocês podem encontrar assunto mais importante e mais atual do que este? Podem sequer imaginar o que seja a vida em outro plano de ação?



Pois é. Tudo isso existe. Eu estou vivo. Vivo e alegre, agradecendo profundamente à sabedoria imensa e à profunda bondade de Deus.



Vocês não pensam como eu?
Abraços do amigo,
Silveira Sampaio

(De "Bate-papo com o Além", de Zíbia M. Gasparetto, pelo Espírito Silveira Sampaio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário